Crítica: Vingadores – Endgame

Após os trágicos eventos do filme Vingadores: Infinity War, o universo está arruinado. Com a ajuda dos aliados sobreviventes, os Vingadores juntam-se para mais uma batalha e desfazer as ações de Thanos para assim restaurarem a ordem do universo.

Título: Avengers: Endgame
Ano: 2019
Realização: Anthony Russo, Joe Russo
Interpretes: Brie Larson, Linda Cardellini, Scarlett Johansson…
Sinopse: Após os trágicos eventos do filme Vingadores: Infinity War, o universo está arruinado. Com a ajuda dos aliados sobreviventes, os Vingadores juntam-se para mais uma batalha e desfazer as ações de Thanos para assim restaurarem a ordem do universo.

[ARTIGO SEM SPOILERS]

Chegamos ao fim de mais uma épica saga. Após vinte e dois filmes da MCU, os realizadores Anthony e  Joe Russo culminaram toda a ação num fantástico filme, que termina uma era, mas deixam uma nova começar. Após os eventos do filme anterior, “Vingadores: Guerra do Infinito” (crítica podem ler aqui), o vilão Thanos tornou-se invencível, após dizimar metade da população do universo, para seguir a sua ideologia de poupar em recursos naturais. Os Vingadores com a moral em baixo, pela primeira vez, perderem, procuram agora encontrar a esperança para reverter o que aconteceu e novamente com a ajuda das pedras do infinito, conseguir vingar aqueles que desapareceram.

O projecto desde o início foi ambicioso, juntar em cada filme, uma pista para o próximo, todos interligados como se fosse apenas uma história. Nunca se viu nada assim no cinema. Mas será que os irmãos foram capazes de concretizar o sonho?

O argumento bem pensado, conseguiu interligar todos os pontos deste vasto universo. Os fãs que foram com as expectativas altas para a sala do cinema, saíram com um sorriso nos lábios de orgulho e com a lágrima no canto do olho, por este ser o filme final. Ninguém pensava que em 2008 quando estreou o primeiro filme do Homem de Ferro, o seu sucesso seria tão vasto e grandioso que hoje, passados 11 anos estaríamos a sentir a emoção à flor da pele, devido a estas personagens. Nasceu assim a época dos super-heróis no cinema, pois ninguém até à data dava muito por estes protagonistas da banda desenhada.

Os que sobreviveram do filme passado, vão juntar forças e dar tudo por tudo para destruir Thanos. Capitão América, Homem de Ferro, Thor, Viúva Negra, Hulk, Nebula, War Machine, Hawkeye, Captain Marvel e o mais recente Homem-Forminga, que recentemente conseguiu sair do Mundo Quântico. Neste filme não somos absorvidos pelo ritmo frenético do filme anterior. Em “Guerra Infinita” sabíamos que uma guerra estava a acontecer e o nível de ação era elevado. Contudo, aqui, existe mais uma ponderação de acontecimentos. Uma forte inteligência emocional que nos aborda em cada minuto. Várias são as referências apresentadas que deixaram os fãs com o coração aos saltos, um bom truque utilizado pelos irmãos Russo. Neste filme pela primeira vez, sentimos que os super-heróis também são humanos. No sentimento de derrota, perda e dor, acompanhamos todos estes sentimentos. Demónios do passado foram encontrados, mas cada um dos protagonistas conseguiu vencer da melhor maneira.

As três horas de duração não são nada comparadas com a magnitude desta obra cinematográfica. Algo necessário, para o final imponente desta saga, além disso temos um rol diverso de diferentes personagens que de uma forma ou outra conseguiram marcar presença. A narrativa consegue conjugar uma ação fantástica e imponente, o mesmo com os fortes momentos dramáticos e a comédia refrescante e divertida que já nos habituaram. Foram muitos os momentos que nos deu vontade de saltar da cadeira e bater palmas de pé de tão surpreendente que foi.

Respondendo à minha pergunta inicial, sim. Tudo foi superado e surpresas incríveis aconteceram. Gostei todos os momentos e via novamente o filme de seguida. Mesmo apesar de alguns aspectos previsíveis, ficou compensado por outros imprevisíveis. Sobre o final, admito que esperava um pouco mais, mas tornou-se igualmente especial. O blogue atribui 4,5 estrelas em 5.

Rating: 3 out of 5.

Top 10 Filmes Marvel

Para celebrar a estreia do filme “Avengers: Infinity War”, não podia faltar uma necessária e divertida retrospetiva. Após 10 anos e 18 filmes, a Marvel Cinematic Universe conseguiu criar um mundo fantástico de obras cinematográficas de qualidade. O nosso herói favorito é facilmente discutível, mas algo que não pudemos negar é nas competências deste estúdio de produzir um bom filme. Entretenimento apetecível que consegue conciliar bem a acção, drama e comédia tudo numa só narrativa. Mas, alguns filmes melhores que outros. O blogue Beautiful Dreams em parceria com o blogue More Than Entertainment escolhemos o Top 10 filmes dos estúdios da Marvel.

Para celebrar a estreia do filme “Avengers: Infinity War”, não podia faltar uma necessária e divertida retrospetiva. Após 10 anos e 18 filmes, a Marvel Cinematic Universe conseguiu criar um mundo fantástico de obras cinematográficas de qualidade. O nosso herói favorito é facilmente discutível, mas algo que não pudemos negar é nas competências deste estúdio de produzir um bom filme. Entretenimento apetecível que consegue conciliar bem a acção, drama e comédia tudo numa só narrativa. Mas, alguns filmes melhores que outros. O blogue Beautiful Dreams em parceria com o blogue More Than Entertainment escolhemos o Top 10 filmes dos estúdios da Marvel.

1 – Vingadores

Em 2012, todos os heróis se juntaram num filme para combater um inimigo em comum, Loki. Capitão América, Homem de Ferro, Viúva Negra, Thor, Hulk e Hawkeye lutaram pela primeira vez em equipa com o objectivo de salvarem a Terra. Realizado por Joss Whedon, o filme conseguiu surpreender positivamente. Juntou vários heróis num só filme, conseguindo equilibrar as personagens e os seus egos. E outra mais valia é o vilão: Loki, considerado por muitos o melhor.

2 – Guardiões da Galáxia Vol. 1

Não existe grupo mais intrépido do que os Guardiões da Galáxia. O argumento é uma verdadeira ode à criatividade. A dinâmica entre as personagens, Star-Lord, Gamora, Drax, Rocket e Groot são dos mais positivo e cómico dos filmes MCU. Estes outcasts transformados em heróis intergalácticos, e longe de serem perfeitos, não se medem aos palmos e fazem rir do princípio ao fim, com vários momentos de acção. E, claro que temos de mencionar a banda sonora, parte crucial no filme.

3 – Capitão América: Guerra Civil

Neste filme, surge uma grave discordância no grupo de heróis. Após o incidente de Sokovia, que causou muita destruição e várias vidas perdidas, o governo decide controlar os Vingadores. Uma legislação que não é bem aceite por todos. Por um lado temos a equipa do Capitão América e por outro do Homem de Ferro, um conflito que divide opiniões. Novas personagens aparecem para ajudar: Black Panther e Homem-Aranha. Muita ação, tensão e no final, nada será o mesmo.

4 – Capitão América: Soldado de Inverno

Capitão América ainda tenta ajustar-se ao mundo moderno. Mas quando um colega da S.H.I.E.L.D. está sob ataque, Steve vê-se envolvido numa teia de intrigas que ameaçam colocar o mundo em risco. Unindo forças com a Viúva Negra, o Capitão América luta para desmascarar a conspiração cada vez maior ao mesmo tempo que combate assassinos profissionais enviados para o silenciar a cada passo. E, depressa se deparam contra um inimigo inesperado – o Soldado do Inverno. Que, mais tarde descobre, que é o amigo Bucky. Este filme assume-se como um thriller político de espionagem, que resulta mesmo fora do género dos super-heróis.

5 – Black Panther

Depois dos eventos do filme “Civil War” e da morte do pai, T’Challa volta a casa para subir ao trono e assumir o seu lugar como rei de Wakanda. Mas, quando um antigo e poderoso inimigo reaparece, a força de T’Challa é testada, quando é atraído para um conflito que coloca o destino de Wakanda e do mundo em risco. Este filme tornou-se num marco cultural ao celebrar uma cultura africana diferente que equilibra a tradição e a mitologia com a modernidade e o progresso. O design de produção, a banda sonora, e o elenco traduziram na perfeição este ambiente só visto em banda desenhada.

6 – Homem de Ferro 1

O filme que começou este universo conseguiu criar expectativas elevadas. Tony Stark é um bilionário da indústria e génio da invenção que é raptado e forçado a construir uma arma de destruição devastadora. Em vez disso, Tony constrói um fato armadura high-tech e escapa ao cativeiro. Ao desvendar um plano com implicações mundiais, ele assume a sua armadura e jura proteger o mundo como o Homem de Ferro. A sua realização consistente e personagens fortes trouxeram um novo alento aos filmes de super-heróis. E, não nos podemos esquecer do carisma de Robert Downey Jr. como Tony Stark.

7 – Thor: Ragnarok

Thor encontra-se preso do outro lado do universo, sem o seu martelo, numa corrida contra o tempo para voltar a Asgard e impedir Ragnarok – a destruição do seu mundo e o fim da civilização Asgardiana – que se encontra nas mãos de uma poderosa ameaça – Hela. Mas primeiro, Thor precisa de sobreviver a uma luta mortal de gladiadores, que o coloca contra um seu ex-aliado e companheiro Vingador – Hulk. Coerente e com potencial que até ao momento não tinha sido explorado nos filmes do Thor, este filme é o mais divertido do herói Thor.

8 – Dr. Strange

Stephen Strange é um neurocirurgião brilhante, mas arrogante. Mas, um acidente de carro danifica-lhe os nervos das mãos e em desespero, decide partir para o Tibete, onde espera encontrar um mago conhecido como “Ancião”. Mas não é bem uma cura que Strange encontra, mas uma ordem de artes místicas que o ensina a tirar proveito de todo o tipo de energia. Uma mistura de artes marciais e magia que com o tempo vão transformá-lo no mestre da magia negra. Com um elenco de qualidade, este filme trouxe algo novo ao universo MCU: uma vertente mística, mágica e espiritual. O que resultou num filme com um visual completamente singular.

9 – Homem-Aranha: Regresso a Casa

Entusiasmado com a sua recente experiência com os Vingadores, Peter regressa a casa, onde vive com a tia, sob o olhar vigilante no seu novo mentor, Tony Stark. Peter procura reintegra-se na sua rotina diária, sempre focado no desejo de provar que não é apenas o super-herói simpático que vive nas redondezas, e, assim sendo, quando Vulture surge como o novo vilão, tudo o que é mais importante para Peter fica ameaçado… O que tem de bom este filme é ser diferente na abordagem da história do herói, que já foi vista noutras vezes. Tom Holland foi o escolhido para interpretar o protagonista. Vivaz e cheio de energia, é mesmo um Peter Parker aka Homem-Aranha de alma e coração. Um filme divertido e com um bom vilão.

10 – Thor

No centro da história está O Poderoso Thor, um forte, porém arrogante guerreiro, cujas atitudes reacendem uma antiga guerra. Como resultado, Thor é banido para a Terra, onde é obrigado a viver entre os humanos. Quando Loki, o seu meio-irmão, envia as forças das trevas para invadir a Terra, Thor aprende aquilo que é necessário para ser um verdadeiro herói. Uma sólida história de origem, que nos apresentou Thor, um dos membros fundadores dos vingadores, e a sua origem cósmica e o melhor vilão MCU, Loki.

O caminho até “Vingadores: Guerra do Infinito”

O culminar de toda a história e todas as linhas temporais vão juntar-se neste próximo filme que estreia mundialmente a 26 de abril. Com esta técnica os produtores da Marvel previnem possíveis spoilers. Este será o maior e provavelmente o mais longo filme da Marvel alguma vez feito. Esperam-se grandes surpresas (boas a más) sobre o destino das nossas personagens favoritas. No entanto algumas perguntas prevalecem. Será que Thanos vai conseguir todas as Pedras do Infinito? Se sim, a que custo? Está tudo em aberto, e sem dúvida tudo pode acontecer.

O culminar de toda a história e todas as linhas temporais vão juntar-se neste próximo filme que estreia mundialmente a 26 de abril. Com esta técnica os produtores da Marvel previnem possíveis spoilers. Este será o maior e provavelmente o mais longo filme da Marvel alguma vez feito.  Esperam-se grandes surpresas (boas a más)  sobre o destino das nossas personagens favoritas.  No entanto algumas perguntas prevalecem. Será que Thanos vai conseguir todas as Pedras do Infinito? Se sim, a que custo?  Está tudo em aberto, e sem dúvida tudo pode acontecer.

Crítica: Vingadores – A Era de Ultron

Algo corre mal com o programa de manutenção de paz iniciado por Tony Stark. Os super-heróis mais poderosos do planeta Terra, incluindo o Homem de Ferro, Capitão América, Thor, Incrível Hulk, Viúva Negra e o Gavião Arqueiro são colocados à prova enquanto salvam o planeta da destruição pelo vilão Ultron.

Os heróis voltaram!

Vingadores: A Era de Ultron ou em título original Avengers: Age of Ultron é um filme de 2015, realizado por Joss Whedon, e com as participações de Aaron Taylor-Johnson, Chris Hemsworth, Elizabeth Olsen,  Hayley Atwell, Robert Downey Jr., Scarlett Johansson, Mark Ruffalo, Samuel L. Jackson, Chris Evans, entre outros. Sinopse: Algo corre mal com o programa de manutenção de paz iniciado por Tony Stark. Os super-heróis mais poderosos do planeta Terra, incluindo o Homem de Ferro, Capitão América, Thor, Incrível Hulk, Viúva Negra e o Gavião Arqueiro são colocados à prova enquanto salvam o planeta da destruição pelo vilão Ultron.

O grupo de heróis da Marvel voltou a juntar-se para mais uma aventura. Desta vez é contra o robô Ultron, inteligência artificial que tem como objectivo erradicar por completo a raça humana. Numa luta contra o tempo os Vingadores vão fazer de tudo para salvar o Planeta Terra. O filme tem tudo para ser bom: é da Marvel, tem ação (muita ação), umas piadas pelo meio, é realizado por Joss Whedon e junta heróis com poderes de outro mundo. Mas…(sim, existe um mas) perde pelas demasiadas histórias que acontecem em simultâneo, pelo facilitismo, pela falta de informação inerente às situações que as personagens vivem, e o vilão podia ter sido muito mais aproveitado. No filme apenas preocuparam-se nas cenas de ação (que verdade seja dita estão espectaculares), deixando de parte o conteúdo da história. Contudo, não é por isso que não deixa de ser um sucesso de bilheteiras. Não, muito pelo contrário, o público gosta de ver efeitos especiais, lutas inesquecíveis, personagens marcantes e vilões com carácter. E os Vingadores tem isso tudo.

 O filme ganha por si admiradores nas peripécias de luta (admito são das melhores que já vi), nos efeitos visuais, a tecnologia a 3D cada vez mais favorece o cinema e a coordenação entre as personagens. Nesta segunda película todas as personagens tem o real destaque que merecem, e o trabalho em equipa está ao rubro. Gostei Capitão América e Gavião Arqueiro, personagens que não me identificava muito. Mas achei a relação entre a Viúva Negra e o Hulk muito forçada e sem interesse para o desenvolvimento da história. O realizador Joss Whedon afirmou que o filme encontra-se demasiado saturado, que queria colocar cenas do Loki, como forma de introdução do terceiro filme do Thor, mas que não conseguiu devido à demasiada informação que este já continha. Também partilho da mesma opinião, mas no geral está um filme bastante apelativo. Para os fãs está fantástico, mas para quem ainda não é, não é desta que vai ficar. O blogue atribui 3,5 estrelas em 5.

Rating: 3 out of 5.

Ser herói está na moda

Não acreditam? Pois é verdade. A febre dos heróis veio para ficar. Só esta semana saíram três trailers dos filmes mais esperados.

Nunca foi tão bom ser nerd. Heróis da banda desenhada e não só, estão por aí e em breve chegam aos cinemas, já considerados como os filmes mais esperados. Durante a semana passada a confusão instalou-se na Internet. Comentários, partilhas, opiniões encheram o mundo virtual. A razão? O lançamento do trailer do filme Star Wars Episode VII: The Force Awakes fez fãs de todo o mundo ficar em êxtase. É já este ano em Dezembro que o filme vai sair, mas ainda pouco se sabe da história. Apenas espera-se alguns atores que fizeram parte do elenco original. É o caso de Harrison Ford que no final do vídeo deu ar da sua graça com o “We´re back Chewie“. Desta vez a realização não está nas mãos de George Lucas, mas de J.J.Abram. A ver vamos se vai conseguir manter o legado.

Outro motivo da agitação desta semana foi o teaser do Batman v Superman: Dawn of Justice da DC Comics. Este ainda não é para já, só em 2016. Filme que está guardado no “segredo dos Deuses” e que para os anos seguintes já garante um filme individual para cada personagem. Temos Ben Affleck como Batman e Henry Cavill como Super-Homem. Num cast completado ainda por Gal Gadot (Mulher Maravilha), Amy Adams (Lois Lane) e Jesse Eisenberg (Lex Luthor). Aqui as opiniões dividem-se será um sucesso, ou um flop?

Mas ainda não terminei, este ano em Julho chega Ant-Man, outro super-herói da Marvel. Liderado por Paul Rudd, este temo o poder de diminuir em tamanho, aumentando a sua força. E claro que vai ter a missão de salvar o mundo.

Acabadinho de sair hoje o trailer do rekame do filme “Quarteto Fantástico“, aproveitando a onda de super-heróis. O cast mudou, mas história mantêm-se. Um grupo de cientistas conseguem super-poderes, agora tem de se habituar ás suas novas habilidades, enquanto lutam contra o mal. Outro filme da Marvel.

E para terminar um filme que já vai estrear nas nossas salas de cinema para a semana. O segundo filme de “Os Vingadores” promete ultrapassar o anterior. Os heróis: Thor, Capitão América, Iron Man, Black Widow, Hulk e Hawkeye, voltam-se a juntar para derrotar uma ameaça maior, tudo pelo bem da Humanidade.

E ainda tens dúvidas que chegou a era dos heróis?

Crítica: Os Vingadores (Avengers)

assado muito tempo de o filme ser falado para ser realizado, finalmente passou directamente dos quadrinhos para o grande ecrã. O que agradou os fãs da banda desenhada e não só, os amantes de filmes de super-heróis também viram o seu desejo realizado. Tarefa que não foi fácil de concretizar, juntar vários heróis com histórias completamente diferentes num só filme, e por isso ficou o filme tanto tempo em “stand-bye”. Mas agora finalmente passou para as salas do cinema. As personagens já nos são familiares, o grupo Avengers é constituído por: Iron Man – Homem de Ferro (Robert Downey Jr), Hulk (Mark Ruffalo), Capitão América (Chris Evans), Thor

Os Vingadores ou Avengers é um filme de 2012, realizado por Joss Whedon e com as participações de grandes atores, como Robert Downey Jr., Chris Evans, Samuel L. Jackson, Scarlett Johansson, Chris Hemsworth, Tom Hiddleston, Mark Ruffalo e Jeremy Renner. Passado muito tempo de o filme ser falado para ser realizado, finalmente passou directamente dos quadrinhos para o grande ecrã. O que agradou os fãs da banda desenhada e não só, os amantes de filmes de super-heróis também viram o seu desejo realizado. Tarefa que não foi fácil de concretizar, juntar vários heróis com histórias completamente diferentes num só filme, e por isso ficou o filme tanto tempo em “stand-bye”.  Mas agora finalmente passou para as salas do cinema. As personagens já nos são familiares, o grupo Avengers é constituído por: Iron Man – Homem de Ferro (Robert Downey Jr), Hulk (Mark Ruffalo), Capitão América (Chris Evans), Thor (Chris Hemsworth), Viúva Negra (Scarlett Johansson) e Hawk (Tom Hiddleston).

Além dos super-heróis atrás falados, os Vingadores tem a ajuda da personagem interpretada por Samuel L. ackson, o Capitão Nick Fury e o vilão Loki (Jeremy Renner) faz o filme ter mais ação. A história torna-se simples e até cliché, quando todos heróis, cada um à sua medida se juntam à S.H.I.E.L.D. com um objectivo em comum, destruir Loki, que tem como planos governar o mundo.

Mas o que se pensava que ia ser quase impossível de se realizar, Joss Whedon, tornou no aspecto melhor do filme, juntar tantos protagonistas principais numa só história, com uma narrativa que não deixa nenhum herói de lado. Já em termos visuais, Os Vingadores é tudo aquilo que podíamos esperar de um filme deste calibre, está absolutamente espectacular. Concluindo este não é só um filme de acção, mas onde a comédia também está presente. O Blog atribui 4 estrelas em 5.

Rating: 3 out of 5.