A segunda edição do GEEKS d’OURO está a chegar!

Depois do sucesso da gala do ano passado, a equipa do Café Mais Geek vai continuar a festejar o que melhor foi lançado de entretenimento em Portugal. Com o apoio da Academia Geek, no qual o vosso blogue Beautiful Dreams também faz parte, seleccionamos uma lista de nomeados das mais diferentes áreas. O GEEKS d’OURO pretende galardoar o que melhor aconteceu em Portugal durante o ano passado.

Depois do sucesso da gala do ano passado, a equipa do Café Mais Geek vai continuar a festejar o que melhor foi lançado de entretenimento em Portugal. Com o apoio da Academia Geek, no qual o vosso blogue Beautiful Dreams também faz parte, seleccionamos uma lista de nomeados das mais diferentes áreas. O GEEKS d’OURO pretende galardoar o que melhor aconteceu em Portugal durante o ano passado.

Com as categorias de literatura, videojogos, séries de televisão, filmes, jogos de tabuleiro e até cultura japonesa está presente com nomeações em anime e manga.

Os nomeados foram seleccionados com a prioridade de lançamento em Portugal durante o ano de 2019. Mais do que premiar estes conteúdos, este evento pretende reconhecer as várias equipas que nos fornecem os melhores momentos de entretenimento no nosso país. No total são 8 categorias, 18 prémios e 87 nomeados.

Mas também podes fazer parte deste evento. Entre os dias 19 de janeiro e 16 de fevereiro vota nos teus favoritos. Além disso também podes escolher o que para ti mais marcou nesta última década. Vota já através do link GEEKS d’OURO.

Os vencedores serão anunciados numa gala ao vivo que irá decorrer na região em Coimbra. Fica atento ao site oficial para todas as novidades. A data e local brevemente serão anunciados.

Lisbon Film Orchestra

A Lisbon Filme Orchestra volta este ano para um mega concerto. Desta vez além da banda sonora dos filmes, junta as séries de televisão, “Guerra dos Tronos” e “La Casa de Papel” foram alguns dos temas escolhidos. Esta é mesmo a grande novidade do Lisbon Film Orchestra deste ano que já tem um concerto marcado para 9 de dezembro no Campo Pequeno. O público poderá ouvir os temas que conhecem dos filmes e séries de televisão. “Guerra dos Tronos” vencedor de Melhor Série Dramática nos Emmys de 2018 é dos momentos mais esperados, pois consegue ser das séries mais assistidas em Portugal. O mesmo acontece com “La Casa de Papel” uma série fenómeno da Netflix que conquistou os portugueses este ano. Além das séries, os filmes também terão destaque. Star Wars, com a música de John Williams; La La Land com música de Justin Hurwitz; 007; Cinema Paradiso, entre outros…

A orquestra dirigida pelo maestro Nuno Sá com 60 músicos que interpretam ao vivo, sincronizados com imagens e vídeos projectados na tela. O cinema é feito de memórias, e este evento vai ser memorável. Ação, suspence, romance e drama num só sítio, onde a nostalgia vai ser forte com emoções fortes.

Já tive o privilégio de assistir a esta orquestra duas vezes. No ano passado quando visitaram o Porto para um concerto com músicas conhecidas dos cinema e durante o Comic Con no ano passado também no Porto com uma parceria com o Canal Hollywood. Tenho a dizer que vale mesmo a pena conhecer estes fantásticos músicos que interpretam com paixão, sonoridades que nos emocionam. A música cria emoção, pois é algo que dá vida às cenas dos filmes. Sem dúvida dos fatores mais importantes da produção. Não percam este fantástico concerto, já conseguiu captar a nossa atenção. Acreditem que se pudesse estava presente, talvez quando visitarem o Porto novamente.

Mais informações 

Comprar os Bilhetes

Os melhores Feiticeiros do Cinema e TV

Na televisão e no cinema são várias as vezes que o tema fantasia é recriado. Para certos feitos a magia é necessária para a evolução da história. Bons ou maus esta é uma lista dos melhores feiticeiros do cinema e televisão. Em breve também faço de feiticeiras.

Dr. Strange – Marvel

Resultado de imagem para dr. strange gif

Após a sua carreira de cirurgião ser destruída, num acidente. Stephen Strange recebe uma nova oportunidade na vida quando um feiticeiro o treina para se tornar num mago supremo. Portador do Olho de Agamotto tem uma enorme força e poder que consegue controlar o tempo. No cinema foi interpretado por Benedict Cumberbatch. Esta personagem da Marvel é das mais poderosas deste universo.

Balthazar Blake – O Aprendiz de Feiticeiro

Imagem relacionada

Com o propósito de proteger a cidade de Manhattan do seu poderoso rival, Horvath, Balthazar Blake terá de encontrar o descendente de Merlin e ensinar-lhe a controlar a magia para ambos destruírem o vilão. Um conflito lendário entre o bem e o mal. Balthazar é interpretado por Nicholas Cage no filme “Aprendiz de Feiticeiro“.

Jafar – Aladino

Resultado de imagem para jafar aladdin gif

O maldoso Jafar tem o objectivo de tornar-se sultão. Com planos maléficos é portador de uma forte magia de ilusão. Não sendo poderoso o suficiente é enganado por Aladino para se tornar um génio, mas é um plano para aprisiona-lo no interior da lamparina. Um filme de animação da Disney que em breve irá receber uma versão live-action.

Severus Snape – Harry Potter

Resultado de imagem para Severus Snape gif

Na saga Harry Potter quase todas as personagens merecem o seu destaque. Nesta lista optei por três escolhas. Severus Snape um dos melhores feiticeiros deste universo foi também a personagem mais sacrificada. No final a sua verdade foi descoberta e ficamos com o coração despedaçado. Sem dúvida um dos pontos altos da saga.

Merlin – Merlin

Resultado de imagem para merlin magic gif

Merlin já teve as mais várias adaptações possíveis. Nesta série dedicada só à sua história, conhecemos as suas origens e a sua poderosa magia. Aliado protector do Rei Arthur foi necessário para os cavaleiros da Távola Redonda. Normalmente apresentado como um sábio de longas barbas e varinha de condão, nesta versão tem a idade de Arthur e juntos são os melhores amigos.

Oz – Oz Great and Powerful

Resultado de imagem para oz the great and powerful gif

Em Oz Great and Powerful baseado na história “O Feiticeiro de Oz” conhecemos as origens deste mundo encantado, da disputa das bruxas muito antes do tempo de Dorothy. Oz (James Franco) é um ilusionista do mundo real que utiliza os seus dons para persuadir as pessoas. Não é um mágico a sério, mas quase. Oz conseguiu atribuir o seu nome ao fantástico mundo encantado.

Dumbledore – Harry Potter

Resultado de imagem para dumbledore gif

Dumbledore dos feiticeiros mais fortes e destemidos da saga Harry Potter. Diretor da Escola de Hogwarts é um dos principais oponentes do vilão Voldemort. Sempre com as suas palavras sábias, o feiticeiro sempre foi o mais correto na proteção dos seus alunos contra o mal.

Newton Scamander – Monstros Fantásticos

Resultado de imagem para fantastic  beasts gif

Scamander (Eddie Redmayne) é o protagonista da nova saga, Monstros Fantásticos, antes do aparecimento de Harry Potter. Um spin-off cinematográfico para todos os fãs. Perdido no mundo americano da feitiçaria é o protetor das fantásticas criaturas misteriosas mágicas que vivem quase em extinção.

Gandalf – Senhor dos Anéis

Resultado de imagem para gandalf gif

Dos feiticeiros mais poderosos das histórias de fantasia, Gandalf (Ian Mckellen) é um forte protetor. Administra com precaução a magia que utiliza e não se deixa aliciar para o lado mau. Consegue compreender os seus limites. Na saga “Senhor dos Anéis” é do nome mais reconhecido.

Quentin – The Magicians

Resultado de imagem para the magicians gif

Sem certezas que pertencesse a este mundo, Quentin encontra na magia o seu conforto. De personalidade insegura, pensa demasiado nas consequências das suas ações. Com o tempo percebe que a magia é muito mais do que truques com as cartas. É real e pode ajuda-lo a conectar-se. O futuro assim já não parece tão mau.

As Taras de Tara


Todos nós temos um pouco da Tara dentro de nós. Não fiquem tão chocados, é verdade. Tinha um professor de Marketing que dizia que tínhamos múltiplas personalidades. Durante essa aula, uma colega minha zangada com tal afirmação, indignou-se com o professor, respondendo que não era nenhuma falsa. “Mas olhe que é. A menina não tem um comportamento igual para o seu pai, ou com o seu namorado ou mesmo com o seu patrão e até com pessoas que não conhecem de lado nenhum. Todos nós mudamos conforme o meio envolvente“. Lembrei-me muito desta experiência enquanto assistia à série “United States of Tara”, criada em 2009, manteve-se firme durante 2 temporadas com 36 episódios no total.

No epicentro desta louca série televisiva temos Tara Gregson, esposa de Max e mãe de dois filhos: Kate, uma adolescente problemática e Marshall rapaz sensível que está a revelar-se ser homossexual. Esta podia ser uma família normal, mas não é. Tara (Toni Collette) tem múltiplas personalidades dento de si. T. é uma adolescente de 16 anos que faz o que bem lhe apetece, Buck um veterano do Vietname e Alice, a perfeita mulher dos anos 60. Entretanto conforme a vida complica-se mais personalidades se juntam a Tara (mas sobre isso não vou spoilar).

O elenco é dos factores mais positivos e atractivos desta série. Toni Collette lidera a perfeição a equipa. Porra que atriz, e interpreta numa uma mas várias personalidades diferentes. Conseguindo num momento estar calma e noutro aos berros, ou a chorar sem transição progressiva de emoção. Collette brilha com todo o seu talento, e deviam oferecer mais crédito a esta atriz. Brie Larson ainda estava longe de interpretar o filme “O Quarto” mas já conseguia chamar a atenção com a sua atitude. John Corbett também está à altura ao interpretar um marido/pai à beira de um ataque de nervos.
Na sua generalidade esta série apresentou uma crítica positiva, devido ao argumento intenso e imprevisível. Relativamente a prémios Toni Collette conseguiu destaque com um Emmy Award e um Golden Globe. “As Taras de Tara” é uma série desvalorizada mas que tem imenso potencial, com um tema sério conseguem argumentar com um humor afiado. Além disso conta com Steven Spielberg como produtor executivo.

Objectivos para as férias

series-a-ver-beauifuldreams
Ah, férias de inverno, passadas entre cama e ronha do sofá, a devorar séries e filmes. Como de costume marquei um plano de objectivos para as férias. Finalizei o meu cronograma, tenho como propósito terminar de ver a segunda temporada de Ficheiros Secretos (vou no episódio 15), sendo que gostei mais da primeira temporada. Depois do afastamento de Scully e Molder nos casos, e da abdução de Scully, agora reapareceu a irmã de Scully. Apesar da história mais desenvolvida os casos de sobrenatural tem se mantido repetitivos. Outro plano é finalizar a primeira temporada de Gilmore Girls, comecei a ver em tom de brincadeira. O primeiro impacto não foi positivo, mas após o sexto episódio, já me sentia a fazer parte da família Gilmore. Onde retrata o dia-a-dia de uma mãe e filha num tom muito irónico e divertido. Outra série de comédia que neste momento estou a ver é The Unbreakable Kimmy Schmidt e só me falta três episódios para o seu fim. Na minha hora de almoço ligo a Netflix no telemóvel e durante 30 minutos divirto-me com as histórias de Kimmy. Como se ainda não bastasse quero começar a ver à série “The Crown“.

A juntar a estas séries, quero ainda repetir a dose do filme “O Amor Acontece“, porque só começa a ser Natal quando o vejo. Além disso ainda tenho de vasculhar que filmes tenho lá em casa que ainda não vi, ou juntar-me à companhia da Netflix. Não faltam hipóteses.

Dia Nacional do Pijama com a Netflix

No próximo dia 21 de novembro comemora-se o Dia Nacional do Pijama. Não há nada mais confortável do que chegar a casa depois de um dia de trabalho e vestir o nosso pijaminho quentinho. Para comemorar a data é deixarmos-nos levar pela preguiça e a Netflix faz o resto no dia 20 de novembro. Aconselha a passarmos todo o dia de pijama vestido a assistir aos nossos filmes e séries favoritos. Além disso a previsão para o fim-de-semana é de muita chuva, por isso até calha bem.

Na TV, no tablet ou através do smartphone podes ver as tuas séries e filmes favoritos quando quiseres sem estares limitado por horários e dias fixos de transmissão desses conteúdos. Por isso se estavas à tempão a combinar fazer uma maratona de Narcos, Lost ou Breaking Bad esta é a oportunidade. Falo por mim, Narcos comecei a ver recentemente e conto as horas para ver o próximo episódio. Ou até, começar a ver novas séries como The Crown ou rever FRIENDS.

Na seleção de filmes a escolha não podia ser maior. Da comédia, à ação e até ao romance. Filmes como The Big Short, The Hangover, Interstellar, Jack Reacher ou Amigos Coloridos, tudo o que conseguires ver.

Prepara a manta, os snacks, as bebidas quentes e instala-te confortavelmente para uma sessão dos teus filmes, séries, e documentários favoritos. Com tantas opções já sabes o que vais fazer no Dia Nacional do Pijama?

netflix_lifestyle_image_03

As referências favoritas de “Breakfast Club”

breakfast_club

O filme dos anos 80 “The Breakfast Club” é considerado um clássico. Cinco jovens que aparentemente nada tem haver uns com dos outros, encontram-se num sábado de manhã na escola para cumprir castigo. O trama do filme é tão poderoso que vários outros filmes e séries de televisão aproveitaram o seu contexto e clonaram algumas referências. Será que te lembras?

 Dawson’s Creek

Foi no episódio 7 da primeira temporada que os responsáveis da série decidiram dedicar um episódio ao clássico filme. Com o nome “Detention” o grupo esteve de castigo durante um dia e assim foram aprendendo um pouco mais sobre cada um.

One Tree Hill

O filme de  John Hughes teve muitas influências na juventude, pois este expunha de forma clara as suas dúvidas e medos. Na série televisiva One Tree Hill a banda sonora foi um recurso utilizado. A famosa música “Don’t forget about me” dos Simple Minds foi dançada pela Brooke.

Pitch Perfect

No filme musical protagonizado por Anna Kendrick, a música “Don’t forget about me” foi interpretada. Mas antes houve uma cena, em que o casal estava a ver o filme, e aí surgiu a inspiração.

Community

No episódio piloto da série, Abed o estranho-social e obcecado em cultura pop, relembra o filme todo. Como se não bastasse, ele o o líder do grupo,  Jeff Winger retratam a dança final noutra cena quando estão embriagados.

Lizzie Mcguire

No episódio “She Said. He Said. She Said” da série juvenil Lizzie Mcguire, a protagonista e dois colegas terão de descobrir a verdade da guerra de comida que aconteceu na escola. Tudo isto, enquanto cumprem castigo. Apesar de não chegarem a um consenso, terão de deixar de lado as diferenças e unirem-se.

Cougar Town

Na quarta temporada com o episódio “The Criminal Kind“, as personagens principais acabam na cadeia. No final deixam uma nota, com a referência ao filme Breakfast Club. O cast até fez parodia da famosa dança.

Easy A

No filme adolescente protagonizado por Emma Stone, são feitas referências a filmes dos anos 80. Entre eles estás “Breakfast Club“. A música “Dont’t forget about me” é apresentada quando Olive está com o seu interesse amoroso ao pôr-do-sol. E ainda John Hughes não realizou a minha vida.

Repararam nestas referências? Qual foi a vossa favorita?
//giphy.com/embed/P7Z6eEzZdeA8

via GIPHY

The White Queen

“The White Queen” é uma série baseada na coleção de livros “The Cousin’s War” de Philippa Gregory do qual está presente a trilogia “The White Queen”, “The Red Queen” e “The Kingmaker’s Daughter”. A série britânica de televisiva surgiu em 2013, e terminou após uma temporada com 10 episódios.

The White Queen” é uma série baseada na coleção de livros “The Cousin’s War” de Philippa Gregory do qual está presente a trilogia “The White Queen“, “The Red Queen” e “The Kingmaker’s Daughter“. A série britânica de televisiva surgiu em 2013, e terminou após uma temporada com 10 episódios. No início deste ano foi divulgada uma sequela, chamada de “The White Princess” que está em pós-produção. O meu vício por séries de época é mesmo incontrolável e daí aproveitei as minhas férias e arrisquei nesta série. Não podia ter feito melhor. A série centra-se principalmente em personagens femininas, que apesar de em pleno séc. XV não terem poder algum, estava tudo nas mãos dos homens, estas conseguem liderar e manipular à sua própria maneira. A história começa pós-guerra das rosas e a coroação do rei Edward York, que se apaixona por Elizabeth, uma viúva que perdera os títulos do marido, mas que será Rainha de Inglaterra, contra tudo e contra todos. Durante 15 anos (tempo de decorre aproximadamente toda o trama da série) acompanhamos as disputas, inquietações, desgostos, alegrias de um grupo de nobres e da sua ambição de conseguirem chegar ao trono. “The White Queen” é uma série medieval, mas não se foca nas políticas tomadas na altura, nem no povo. Esta é uma história com uma visão diferente mas verosímil de como era na época em que casar com bom nome e ter um filho herdeiro era o objetivo das mulheres da época. Tal como a rainha no tabuleiro de xadrez, faziam os seus jogos manipulativo com o propósito de ter poder. Elizabeth Woodville,Margaret Beaufort e Anne Neville, mudaram a história conforme lhes era mais benéfico.

A série surpreende pelas trocas de trono e conspirações das personagens fictícias. Rebecca Ferguson lidera majestosamente como personagem principal. “The White Queen” apesar de não ser completa a nível história, apresenta muita intriga, sensualidade (aqueles vestidos da época são lindos) e faz-nos querer mais. Além disso foi bem recebida pela crítica sendo até nomeada para Golden Globe Awards, Primetime Emmy Awards e People’s Choice Award for Favorite TV Movie/Miniseries. O final foi interessante pois conseguiu terminar uma era, e começar uma nova, apesar de deixar algumas dúvidas no ar. No entanto não deverá faltar muito para as respostas, pois esta série, terá uma continuação, ao contrário do que se fazia prever. Eu gostei muito, esta foi uma história bem contada.

Revenge

O plot é interessante, num género Conde de Monte Cristo dos tempos modernos, sobre uma jovem que pretende vingança à família que destruiu a vida do pai e o tornou inimigo número 1 da América.

Na minha busca incansável de procura de novas séries para ver deparei-me com “Revenge”. Queria assistir a uma série terminada, (pois não gosto de esperar semana a semana por episódio) gosto da atriz principal (gostei do seu papel na série Everwood), estava a precisar de ver um drama, não me apetecia ver uma série de sobrenatural em que tudo acontece de forma mágica e li boas reviews desta série. Pensei logo, porque não? Arrisquei e fiquei fã logo desde o primeiro episódio.

O plot é interessante, num género Conde de  Monte Cristo dos tempos modernos, sobre uma jovem que pretende vingança à família que destruiu a vida do pai e o tornou inimigo número 1 da América.  A série conseguiu 4 temporadas, com um total de 89 episódios. Na primeira temporada acompanhamos a nova vida de Amanda Clarke que agora tem o nome de Emily Throne, enquanto que um a um vai criando a sua vingança a cada uma das pessoas que estiveram envolvidas no julgamento do pai, entretanto falecido. No final de cada episódio é deixado sempre um pequeno aperitivo para o próximo, e se não fosse pela falta de tempo e pelo sono terminava tudo num ápice. Apesar que desejar continuar a sua busca sozinha na luta contra os seus objectivos, Emily consegue companheiros que a ajudam. Nolan Ross, é das personagens que mais gosto da série, divertido, espontâneo, e um bom amigo, ele é dono de uma empresa de informática onde é hacker nos tempos livres. Jack Porter, amigo de infância de Amanda, só descobre a verdade sobre ela no final da segunda temporada. Aiden Mathis esta personagem também aparece na segunda temporada e apresenta-se como o interesse amoroso de Emily, além disso teve o mesmo mestre de vingança.

Este caminho podia ser um caminho bem solitário, mas Emily conseguiu desafiar as probabilidades. O seu plano era destruir por completo a família Grayson, para quem o seu pai trabalhava. Os Grayson são compostos por Conrad, apenas se importa com o poder e nome da família, Victoria, mulher cínica que apenas se interessa por dinheiro, é completamente manipuladora, e os filhos Charlotte e Daniel. No seu plano de vingança, Emily pretende fazer Daniel apaixonar-se por si, para assim destruir por completo a família por dentro. Mas será que vai conseguir?

A série conseguiu ter sucesso devido à história bem pensada e ao desenvolvimento de cada personagem, cada um com os seus segredos, pareciam peças num jogo de xadrez, cada um manipulando os outros para os seus próprios interesses. Gostei de todas as temporadas, especialmente a terceira, para mim essa deixou-me com os nervos em franja. A pior foi a quarta temporada, arrastou-se demasiado com situações desnecessárias. Quanto ao final achei muito happy-ending depois de tudo o que se passou, mas com um twist interessante.

A qualidade da série é muito boa, especialmente para quem se interessa por drama, mistério, ação e intriga. Todas as personagens tem personalidade forte e todas são necessárias para o desenvolvimento da história. Segredos, segredos e mais segredos tornaram Revenge muito interessante de assistir. Uma novela escura com um factor de glamour passado nos Hamptons. Bem recebida pela crítica internacional caracterizada como sendo “Sexy”, “pegajosa”, “Exagerada mas agradável” deram o estatuto de série aconselhada sendo que a ABC não conseguiu tanta audiência num episódio, desde de Lost.