Crítica: Meia-Noite em Paris

urante uma viagem a Paris com a família da noiva, um escritor nostálgico descobre um caminho temporal que o leva todas as noites até Paris em 1920 à meia-noite.

Título: Midnight in Paris
Ano: 2011
Realização: Woody Allen
Interpretes: Owen Wilson, Rachel McAdams, Kathy Bates…
Sinopse: Durante uma viagem a Paris com a família da noiva, um escritor nostálgico descobre um caminho temporal que o leva todas as noites até Paris em 1920 à meia-noite.

As ruas de Paris tem sempre um charme e encanto especial. Woody Allen inspirou-se nisso mesmo e criou este lindo filme sobre um escritor que vagueia pela cidade durante a noite à procura de inspiração. E sabem que mais? Encontra-a onde menos espera. O realizador conseguiu captar a magia artística dos anos 20 em Paris. Local onde vários artistas se reuniam para expressar as suas obras-primas: Picasso, Salvador Dalí, F. Scott Fitzgerald, T.S. Eliott…A história centra-se em Gil (Owen Wilson) que está em Paris brevemente com a sua noiva, Inez (Rachel McAdams) e a sua família. Rapidamente percebe que não se sente confortável com os planos luxuosos dos pais da noiva: jantar em restaurantes chiques, degustação de vinho, passeio por museus e escolha de uma mobília vintage caríssima. Gil é mais um homem simples e sem pretensões daquele mundo que não é o seu. O seu refúgio encontra-o à meia-noite em ponto nas ruas quase desertas em Paris, onde descobre a sua época favorita, a época de ouro: aquela cidade nos anos 20.

Woody Allen disserta sobre o pensamento da imaginação. Será que mudando o nosso ambiente e meio envolvente conseguíamos ter uma mente mais crítica e funcional? O nosso estado psicológico é moldável perante as experiências positivas. A direção de Woody Allen mantém-se soberba neste filme. Conseguiu por tal uma indicação ao Oscar. Os atores também conseguiram acompanhar bem o seu trabalho e todos eles provaram o sue profissionalismo. A narrativa é o factor mais positivo da obra-cinematográfica. Conseguiu o Óscar para melhor Roteiro Original. O espectador fica completamente absorvido por esta fantástica e linda história. As paisagens romanticas e encantadores da capital de França ajudaram a criar o ambiente perfeito para a continuação do filme. A cereja no topo do bolo como se costuma dizer. O blogue atribui 4 estrelas em 5.

Rating: 3 out of 5.