Tartarugas Ninja Heróis Mutantes: O Romper das Sombras

Após derrotarem Shredder, que juntou forças com um cientista louco, Baxter Stockman e uns bandidos de nome Bebop e Rocksteady para conquistar o mundo, as tartarugas terão de enfrentar um nemesis ainda mais perigoso, um extraterrestre de nome Krang

Título: Teenage Mutant Ninja Turtles: Out of the Shadows
Ano: 2016
Realização: Dave Green
Interpretes: Megan Fox, Will Arnett, Tyler Perry…
Sinopse: Após derrotarem Shredder, que juntou forças com um cientista louco, Baxter Stockman e uns bandidos de nome Bebop e Rocksteady para conquistar o mundo, as tartarugas terão de enfrentar um nemesis ainda mais perigoso, um extraterrestre de nome Krang.

As Tartarugas Ninja voltam à carga depois do primeiro filme, crítica podem ler aqui. Desta vez Michael Bay abdicou da realização para Dave Green, mas garantiu lugar na produção. O vilão continua a ser o conhecido Shredder que conseguiu escapar da prisão, a ele juntam-se os tontos Bebop e Rocksteady, e o cabecilha, extraterrestre Krang. Já que estou a falar de personagens novas, Casey Jones (Stephen Amell) também torna-se recorrente neste filme. Resumindo novas personagens novas aparecem, mas já as conhecíamos dos desenhos animados. Apesar do argumento melhorado relativamente ao filme anterior, “Tartarugas Ninja Heróis Mutantes: O Romper das Sombras” ainda é um filme totalmente descartável, e comestível apenas pelo entretenimento que propõe.

Com comédia forçada e muito soft, deixamos de conhecer a verdadeira essencial das Tartarugas. Porquê é que gostávamos deste desenho animado? Era engraçado, especialmente com a personagem Michaelangelo e conseguia muitos de ação bastante divertidos. Neste filme esquecemos-nos quase disso. A ação é quase mínima. O que mais me interessou no argumento pouco desenvolvido foi o drama de irmãos que não conseguiam um acordo entre eles. De resto foi tudo muito fútil. Megan Fox como April não convence nada. Como o anterior filme foi um flop, com este esperava mais, mas não teve o efeito que esperava.
O blogue atribui 2,5 estrelas em 5.

Rating: 3 out of 5.

Crítica: Tartarugas Ninja – Heróis Mutantes

Quando um bandido ameaça a cidade de Nova Iorque, um grupo de tartarugas mutantes guerreiras, emergem das sombras para protegerem o que é seu.

Título: Teenage Mutant Ninja Turtles
Ano: 2014
Realização: Jonathan Liebesman
Interpretes: Megan Fox, Will Arnett, William Fichtner…
Sinopse: Quando um bandido ameaça a cidade de Nova Iorque, um grupo de tartarugas mutantes guerreiras, emergem das sombras para protegerem o que é seu.

Um clássico da animação ia voltar aos cinemas. Viva. Fiquei feliz com a notícia. Amante dos desenhos animados, adorava as aventuras das quatro tartarugas mutantes ninjas, Donatello, Miguel Ângelo, Rafael e Leonardo. O que me pareceu uma boa ideia, mudou de figura quando vi o trailer. Agora que vi o filme, confirmo as primeiras impressões. Não acho mau de todo, mas também não o acho espetacular. O primeiro factor que me despertou a atenção, foi a construção das tartarugas, que apresentavam algumas falhas. Mas de quem foi a ideia de tirar a máscara? Bem, não gostei. A estrutura da história também não batia certo com a original. Neste contexto um pouco pobre e sem interesse a história dispersou-se um pouco.

Outra situação que piorou a minha opinião, foi a concepção do vilão. Até ao momento ninguém conhecia a existência destas tartarugas, mas Eric Sacks, possuía em sua própria casa uma máquina para extrair sangue a criaturas de grande porte (que conveniente). Pensando bem todo o filme um colmatar de grandes convenientes para a história. Com o recurso ao efeitos especiais que temos hoje em dia, muitas alterações deviam ter sido feitas. “Tartarugas Ninja” entretém, mas não podem esperar nada de original e complexo. Agora espero para ver o segundo filme. Será que melhora? O blog atribui 2,5 estrelas em 5.

Rating: 3 out of 5.

Crítica: Transformers 2 – Retaliação

Passaram dois anos desde que Sam Witwicky (LaBeouf) e os Autobots conseguiram proteger a raça humana da invasão dos Decepticons. Agora Sam prepara-se para outro desafio: sair de casa para ir para o colégio. Com o planeta Cybertron inabitável, também os Autobots começam uma nova vida na Terra, num projecto secreto em que, juntamente com os militares, formam a equipa NEST, cuja missão é procurar os Decepticons que ainda se escondem no planeta

Em 2009, Michael Bay volta à realização de Transformers, com Megan Fox, Shia LaBeouf, Hugo Weaving e Josh Duhamel.

Passaram dois anos desde que Sam Witwicky (LaBeouf) e os Autobots conseguiram proteger a raça humana da invasão dos Decepticons. Agora Sam prepara-se para outro desafio: sair de casa para ir para o colégio. Com o planeta Cybertron inabitável, também os Autobots começam uma nova vida na Terra, num projecto secreto em que, juntamente com os militares, formam a equipa NEST, cuja missão é procurar os Decepticons que ainda se escondem no planeta. Mas os Autobots não são vistos com bons olhos por todos – o concelheiro de Segurança Nacional Theodore Galloway (Hickey) é o rosto da vontade de banir todos os Transformers do planeta Terra. Entretanto, a vida “normal” de Sam terá de esperar: os Decepticons descobrem o que ele ainda não sabe – que ele é a chave para o destino da batalha entre o bem e o mal. Agora, juntamente com os Autobots, os soldados do NEST e de um velho inimigo agora aliado, Sam e a amiga Mikaela (Fox) têm de desvendar o segredo da presença dos Transformers na Terra, e os sacrifícios que terão de ser feitos para a proteger de uma vingança anunciada – o regresso do Decepticon The Fallen.

Este filme começa bem, incia-se até com uma história interessante, mas ao chegar na segunda parte o filme torna-se bastante cansativo de se assistir. A história torna-se demorada, ao que o telespectador apenas assiste a explosões e mais explosões sem que tenham o mínimo interesse para toda a envolvente. Além desse aspecto o filme demonstra um bom argumento, com cenas que nos são cómicas e uns excelentes efeitos especiais, dos quais assistimos a lutas espectaculares de robôs gigantes. Além deste filme um terceiro já estreou: Transformers Dark of Moon é o seu nome. O Blog atribui 2 estrelas em 5.

Rating: 3 out of 5.

Crítica: Transformers 1

Durante anos os Autobots e os Decepticons, duas raças alienígenas robóticas, duelaram em Cybertron, seu planeta natal. Esta guerra fez com que o planeta fosse destruído, resultando que os robôs se espalhassem pelo universo. Megatron (Hugo Weaving), o líder dos Decepticons, vem à Terra em busca da Allspark, um cubo de Cybertron que possibilita que qualquer aparelho eletrônico seja transformado num robô com inteligência própria.

Transformers 1 é um filme de 2007 que tem como realização Michael Bay e tem como principais atores Shia LaBeouf, Megan Fox, Josh Duhamel e Jon Voight. Durante anos os Autobots e os Decepticons, duas raças alienígenas robóticas, duelaram em Cybertron, seu planeta natal. Esta guerra fez com que o planeta fosse destruído, resultando que os robôs se espalhassem pelo universo. Megatron (Hugo Weaving), o líder dos Decepticons, vem à Terra em busca da Allspark, um cubo de Cybertron que possibilita que qualquer aparelho eletrônico seja transformado num robô com inteligência própria. Megatron encontra a Allspark, mas fica congelado no Ártico. Décadas depois outros Decepticons chegam à Terra, numa tentativa de encontrar a Allspark. Seu surgimento logo alerta os principais países, em especial os Estados Unidos, que tem uma base militar no Qatar atacada. Enquanto o Secretário de Defesa John Keller (Jon Voight) tenta descobrir o que está havendo, reunindo todas as forças e informações possíveis, o jovem Sam Witwicky (Shia LaBeouf) tem preocupações mais simples: conseguir uma boa nota no colégio, o que lhe garantirá seu 1º carro. Mas o que ele não esperava era que o veículo escolhido, um Camaro antigo, tinha vida própria. A partir daí tudo começa a mudar e o que pensávamos que eram simples máquinas, nem tudo o que parece é.

O que parecia um projecto difícil de concretizar, um filme sobre robôs gigantes que foram muito famosos como desenhos animados na década de 80, tornou-se um filme bastante entusiasmante de se assistir. Demorou mas Bay juntamente com Steven Spielberg tornaram realidade para os fãs de 30 anos atrás dos brinquedos robóticos.

O filme está bastante bom, junta a comédia com a acção sem nunca fugir muito da realidade história. Com efeitos realísticos de ver, pois fazer robôs gigantes e lutar, com algumas explosões à mistura não será tarefa fácil. Um dos pontos negativos, mas não muito grave é a má interpretação da atriz Megan Fox, que apesar de bonita visualmente não um discurso muito expressivo, por vez o telespectador não entende o que a jovem está a exprimir.

Mas nem tudo pode ser perfeito. Michael Bay conseguiu tornar o filme interessante com mix de um óptimo argumento, cenas de acção empolgantes, efeitos estrondosos e personagens cativantes.

Este filme é o primeiro de um trilogia, Transformers 2 (2009) e Transformers 3: Dark of the Moon (2011), o merchandising continuou, e enquanto lucrar os robôs vindos do espaço a saga vai continuar, pois um quarto filme vem a caminho. E os fãs aguardam, sendo que o primeiro filme foi excepcional, mas nos seguintes vão perdendo qualidade. O Blog atribui 4 estrelas em 5.

Rating: 3 out of 5.