Annabelle 3 – O Regresso a Casa

Enquanto fazem babysitting da filha de Ed e Lorraine Warren, uma adolescente amiga despertam o espírito maligno da boneca.

Título: Annabelle Comes Home
Ano: 2019
Realização: Gary Dauberman
Interpretes: Vera Farmiga, Patrick Wilson, Mckenna Grace
Sinopse: Enquanto fazem babysitting da filha de Ed e Lorraine Warren, uma adolescente amiga despertam o espírito maligno da boneca.

A saga de “Conjuring” continua a fazer render filmes. Este é o terceiro filme de Annabelle e volta a introduzir o casal Ed e Lorraine Warren. Baseado em factos verídicos sobre a assustadora boneca Annabelle que ainda hoje faz parte das relíquias assombradas do museu dos Warren. Neste filme o protagonismo é da filha do casal, Judy que tem 10 anos. Esta foi uma perspectiva diferente, conhecer o lado de Judy que tem de viver com o peculiar trabalho dos pais. Habituada a nunca desrespeitar as regras que os progenitores lhe atribuem para não visitar  quarto secreto que mantém em casa, vai ser desafiada pela amiga da sua babysitter.

Este filme apresenta alguns elementos que já conhecemos de outros filmes de “Conjuring“. A narrativa é bastante soft e apesar de manter aqueles momentos em que parece que o nosso coração acelera cada vez, o resultado não é muito assustador. Durante uma noite as três personagens principais terão de ser fortes e manterem-se corajosas, pois libertaram a assombração da boneca Annabelle, considerada dos artefacto dos Warren mais perigosos.

O jovem elenco mantém-se muito profissional. Destaca-se principalmente a atriz Mckenna Grace, que já conhecida de filmes como Gifted, Eu Tonya e Mr. Church. Com apenas 13 anos já contracenou com excelentes atores, daí o seu talento em continuar nesta carreira. Concluindo este é um filme mais leve e ainda consegue ter um final feliz. Para quem gosta dos género de terror, mas prefere ver algo mais ligeiro esta é uma opção. Complementa-se também para os fãs da saga Conjuring.

 Warner Bros Portugal

Rating: 3 out of 5.

Crítica: Mente Brilhante

Frank, um homem solteiro, cria a sua sua sobrinha, Mary uma menina prodígio. Tudo muda quando começa uma batalha de custódia pela criança.

Título: Gifted
Ano: 2017
Realização: Marc Webb
Interpretes: Chris Evans, Mckenna Grace, Lindsay Duncan…
Sinopse: Frank, um homem solteiro, cria a sua sua sobrinha, Mary uma menina prodígio. Tudo muda quando começa uma batalha de custódia pela criança.

Não. Chris Evans não é só o Capitão América, também consegue ser um excelente ator em filmes com uma grande carga dramática. “Mente Brilhante” capta a nossa atenção com a pequena Mckenna Grace, protagonista deste drama. Contudo o seu grande pilar é o ator Chris Evans que substitui o pai da menina prodígio. Mckenna Grace é Mary, uma menina com um discurso fluente e uma habilidade especial muito acima da média. Não gosta da escola porque a considera aborrecida, mas é obrigada a frequentar o ensino para socializar mais com crianças da sua idade. Logo é descoberta pela professora como uma menina com um intelecto racional superior. Proveniente de uma família problemática, Mary vai tornar-se no centro das atenções de uma luta de custódia, entre o tio com quem sempre viveu, e a avó que ambiciona outro futuro para a menina.

O argumento consegue apresentar-se como algo sustentável e logo ficamos apaixonados pelo discurso fácil da pequena Mckenna Grace, que se apresenta bastante madura neste filme. A química entre ela e Chris Evans é evidente e facilmente conseguem passar por ser uma família. O realizador Marc Webb conseguiu captar toda a emoção familiar e os obstáculos com um prodígio. As dificuldades sociais e o futuro incerto são repercussões que acompanhamos durante toda esta longa metragem. Apesar do sentimentalismo evidente durante todo o filme, Webb não deixou este cair em situações melodramáticas exageradas. A cena da menina ser deixada num lar de adopção temporariamente é dos momentos que consegue partir o coração.

Concluindo, “Mente Brilhante” é uma produção capaz e sólida, que consegue emocionar o público. Doce e sentimentalista é do melhor com crianças no protagonismo. A sua aura comovente é valorizada com um elenco forte. O blogue atribui 4 estrelas em 5.

Rating: 3 out of 5.