Tutorial Wedding Dress Katniss Everdeen

Prometido é devido. Nesta publicação vou apresentar o processo do fabrico do cosplay da versão do vestido de noiva e vestido mockingjay da Katniss Everdeen, protagonista da saga “Hunger Games“. Optei por fazer este vestido para participar no Concurso de Cosplay “Heróis do Cosplay” e como gostei do design completo, decidi arriscar.

Em cima podemos verificar as imagens de referência que utilizei para realizar o vestido. A minha ideia era tal como no filme, no skit criar a ideia de mudança de roupa, como podem ver no vídeo abaixo.

Depois de fazer o estudo do vestido e verificar quais os materiais que precisava, avancei para a concepção do saiote.

 Primeira tentativa de fazer o saiote. Não podia utilizar uma armação, porque em palco este vestido ia sair e dar lugar ao vestido mockingjay. Este tentativa saiu falhada. Precisava mais volume com tule no saiote. Precisei de quatro camadas de tule grosso para dar volume ao vestido. Na segunda imagem temos o corpete. Esta até foi a parte mais fácil. Depois de conseguir o molde do corpete, passei para tecido e juntei as partes. Para dar mais volume ao peito e para identificar-se mais com noiva, costurei um soutiã volumoso à frente.

Molde do tecido para a base da saia do vestido. Este foi um tecido mais barato, pois apenas era necessário para separar o tule do saiote da organza. Na segunda imagem temos muita fofura. Esta foi a parte mais dolorosa do vestido. E acreditem em mim, precisava de mais (muito mais). Em tule fino cortei tiras de 8 centímetros de atura e com uma agulha juntei em folhos. Depois costurei ao vestido em três filas (mas para ficar mais igual ao original façam 5 filas). Muito tempo aqui perdido. Depois foi só juntar os folhos à organza que estava em cima da base do vestido. Em cima dos folhos de tule, acrescentar uma fita branca (utilizei muita fita também neste vestido).

Não podia ver mais folhos de tule. Depois disto não quero mais trabalhar em tule. Primeira prova do vestido com apenas uma camada de organza. O vermelho e laranja que se nota em baixo é tule que adicionei para criar o efeito de fogo, enquanto rodo o tiro o vestido (quem viu o filme conhece). Foi só costurar o tule ao tule do saiote. Na terceira imagem estou a acrescentar a segunda camada de organza ao vestido. Depois é só costurar.

Na primeira imagem, teste com a terceira camada de organza. Testado e aprovado agora mãos-à-obra e coser. Final teste, mas ainda não me agradou como ficou o templates da organza. Fiz umas pequenas modificações. Metade do peito já com penas no corpete. Na terceira imagem temos a traseira do vestido. Gostei como ficou, só faltava acrescentar o laço comprido com a fita branca.

Na primeira imagem estava a cinco dias evento. Ainda estava a colar penas ao corpete. Não é difícil este passo, o problema é mesmo a sujeira que cria. Penas por todo o lado. Duas semanas após isto ainda encontrava penas pela casa. Estas são penas daqueles cachecóis de plumas que se vê à venda. Na segunda imagem temos a peça utilizada no peito da Katniss. Um pássaro que tem o comprimento desde a barriga à cabeça. Depois de fazer o molde num pedaço de papel, utilizei cola quente em cima de um plástico para decalcar a forma. Gostei muito do resultado. Depois de seco, pintei num cinzento baço. Depois voltei a pintar com um cinzento metálico. No final utilizei cola com purpurinas para dar brilho e ainda acrescentei falsas jóias de decoração. São duas peças uma frontal e outra traseira.

Na primeira imagem o vestido mockingjay ainda em desenvolvimento. Utilizei um tecido azul escuro, elástico para este vestido. Depois o seu corte é bastante básico. Depois de juntar as duas peças, desenhei com um giz os efeitos brilhantes de penas. Com a imagem de referência ao lado. Com um giz decalquei um desenho em estilo random, já que a imagem não é muito nítida. Depois pintei com tinta branca de decido e tinta cinzenta brilhante para um contraste de cor. No final adicionei purpurinas e decorações brilhantes a imitar jóias. Na segunda imagem as penas em Eva, pinceladas com verniz azul para criar um efeito brilhante de tinta e adicionei purpurinas (nunca é demais). Estas penas era para as asas do vestido mockingjay. Colei com cola quente estas penas e um tecido preto com a forma de duas asas.

Voilá tudo pronto. Se precisarem que esclareça alguma dúvida, estejam à vontade em perguntar. Este foi o cosplay mais complexo e demorado que fiz, mas consegui ficar feliz com o resultado.

Comic Con – Dia 3

O terceira dia do Comic Con Portugal (domingo) estava reservado somente para o concurso de cosplay. Pela primeira vez decidi participar numa competição maior. Neste ano no Heróis do Cosplay a artista convidada era a cosplayer Kinpatsu

O terceira dia do Comic Con Portugal (domingo) estava reservado somente para o concurso de cosplay. Pela primeira vez decidi participar numa competição maior. Neste ano no  Heróis do Cosplay a artista convidada era a cosplayer Kinpatsu. O dia começou bastante cedo para mim, pois às 8horas tinha de estar no recinto para os ensaios. Evidentemente que não cheguei a horas, entre arranjar cabelos e maquilhagem demorei a sair de casa, contudo cheguei a tempo para ter uma perspectiva do palco e ensaiar o meu skit. Os meus tempos não estavam bem certos e ter a experiência completa em palco muda tudo.

Já estava com a ideia de fazer o cosplay de Katniss Everdeen desde de março. Finalmente concretizei o obejtivo. A cena do filme “Jogos da Fome: Em Chamas” em que o vestido incendeia-se e transforma-se noutro é completamente linda e queria adaptar isso para o palco. Além disso na área do cinema não é conhecido muitos cosplays e da Katniss também já não se encontra muito. Desde que tive a ideia para o vestido, comecei a trabalhar nele. Parece ter demorado muito tempo, mas na verdade ainda fiz muitas pausas. Consegui termina-lo na última da hora (as always). Depois do ensaio geral dirigi-me à banca do “Heróis do Cosplay” para o prejudging. Demorei um eternidade a chegar ao spotlight do júri. Estava com fome e cansada de estar na fila (fui quase das últimas, ainda sem entender porquê). A lista não estava feita pela ordem de inscrição. Finalmente na minha vez, o júri foi bastante breve, o que me decepcionou. Não fez perguntas sobre nada relacionado com o meu costume. Shame! Os últimos sofrem sempre. Finalmente livre do prejudging, o estômago começava a apertar e já estava na hora do almoço. Com todo o cuidado para não sujar o vestido (é branco!) almocei uma hambúrguer. Depois de umas fotos, entrei para os bastidores do palco. O concurso começava às 14h30.

CCPT17_BeautifulDreams Blog-Dia4
Cosplay Katniss Everdeen Wedding Dress

 A organização deste ano esta excelente. O concurso começou a horas e foram sempre simpáticos sobre as nossas necessidades. Contudo o tempo de espera do prejudging foi completamente desnecessário, o júri quase não se interessou pelo cosplay. Até compreendo éramos imensos cosplayers. Os prémios também não eram nada apeativos, relacionados apenas para quem faz props. Ufff. O prémio Syfy era o único que valia a pena, mas a minha personagem não se relacionava com essa categoria. No ano passado a divisão de categorias estava mais composta. E um buuu grande para os prémios acumulativos. Os participantes eram muitos, podiam-se dividir. Além disso, a minha t-shirt nem cheguei a vê-la.

CCPT17_BeautifulDreams Blog-Dia4-1
Todos os participantes do concurso “Heróis do Cosplay” 2017

Como era quase das últimas aguardei novamente imenso tempo pela minha vez. Quase nem me podia mexer com medo de estragar o vestido. Finalmente subi ao palco e correu tudo maravilhosamente bem. Os tempos estavam certos, o fogo ao rodar via-se e sei que consegui dar o meu melhor. No final não ganhei, mas who cares? diverti-me e conheci pessoas simpáticas nos bastidores. Este ano estamos todos fantásticos e foi um orgulho partilhar o palco com estes cosplayers. Adorei a experiência. No final do concurso recebi largos elogios sobre a minha personagem e skit. Receber este feedback da audiência é sempre muito gratificante e só por isso vale tudo a pena. Agora deixo-vos um vídeo do meu skit de Hunger Games e um pequeno vlog (o que consegui filmar do dia) do terceiro dia e último no Comic Con Portugal.


Os melhores trios românticos

Ás vezes um triângulo amoroso é necessário para algum dramatismo à série/filme. Ficámos todos divididos. Fica com este ou com aquele? Bem a verdade é que nestas situações o sexo feminino é normalmente o centro das atenções aos olhos deles. Esta é uma lista dos trios românticos com mais destaque. Qual é o vosso favorito?

Damon – Elena – Stefan (Diários do Vampiro)

damon-elena-stefan-damon-and-elena-8877178-563-388

No início Elena começou a apaixonar-se por Stefan e pensávamos que eram o par perfeito. Entretanto apareceu Damon que também queria Elena. Conseguiu, e ficaram juntos durante um tempo, até Elena ser amaldiçoada e ficar num sono permanente até Bonnie morrer. Com o final da série “Diários do Vampiro” e o acordar de Elena ainda muito pode acontecer. Mas ao que tudo indica vai ficar com Damon.

Jack – Kate – Sawyer (Lost)

113545_Papel-de-Parede-Lost-Jack-Kate-e-Sawyer_1400x1050

Este foi dos romances que mais voltas deu e que mais confuso foi. Bem a série em si também era confusa. Kate começou primeiro a ganhar confiança com Jack, que até lhe coseu uma ferida no primeiro episódio. A química entre ambos era demasiada e ficaram juntos. Aparece Sawyer que entre sardenta e outros pequenos insultos, queria a atenção de Kate. Lá diz o ditado, quanto mais me bates mais gostas de mim. O clima aquece quando em troca de informação, Sawyer pede um beijo a Kate. E que beijo dos melhores em televisão. No final não ficou com nenhum.

 Dale – Katniss – Peeta (Saga Hunger Games)

hunger-games

Da saga “Hunger Games” temos Katniss a ser disputada por Gale e Peeta. Admito que nunca gostei deste trio amoroso, demasiado sem sal (pelo menos nos filmes, quanto aos livros não li). Katniss começou a namorar com Gale, o jovem promissor e valente guerreiro. Mas quem se andava a arrastar para ela desde criança era Peeta, o rapaz tímido e medroso que foi escolhido a seu lado para os Jogos da Fome. Quem ficou com o coração de Katniss foi Peeta, que na minha opinião era bem melhor do que Gale. Juntos tiveram dois filhos.

Dean – Rory – Jess (Gilmore Girls)

gilmore-girls

Rory nunca teve um namorado. Foi com Dean que começou a sua experiência no romance. Tudo estava a correr bem, Dean era o partido ideal, atencioso, cuidadoso e sempre disponível. A chegada de Jess a Stars Hollow abalou esta relação. Provocador, independente e sincero Jess conseguiu aproximar-se de Rory. Rory apaixonou-se pelo rebelde. O romance entre os dois não durou muito.

Edward – Bella – Jacob (Saga Twilight)

twillight

Bella uma sonsa de primeira achava a sua vida aborrecida. Isso até conhecer o vampiro Edward. O romance entre ambos surgiu quase de imediato. Entretanto Jacob que sempre teve uma “queda” pela rapariga começa a aproximar-se dela, enquanto se vai transformando num lobo. Já era certo que a jovem ia escolher o vampiro, mas andava lá com muitas indecisões. No final todos ficaram felizes. Bella e Edward juntos e Jacob ficou com a filha de ambos que tinha o crescimento anormal, para tornar a história ainda mais estranha.

Daniel – Amanda – Jack (Revenge)

revenge

Amanda ainda com o nome Emily Throne decidiu aproximar-se de Daniel Grayson com um simples objectivo: destruir a sua família. Antes do casamento acontecer pode dizer-se que Amanda sentiu uma aproximação com Daniel, mesmo na sua opinião irrefutável de vingança. No entanto o seu coração sempre foi de Jack, o seu sweetheart de infância. Pois até em pequenos tiveram um casamento a fingir. No entanto só no último episódio é que os vemos finalmente juntos.

Dawson – Joey – Pacey (Dawson’s Creek)

dawson-creek

Joey sempre foi apaixonada por Dawson, o seu melhor amigo de infância. Contudo ele tinha outros interesses, mesmo além do cinema. Tentaram o romance pelo menos por duas vezes mas não resultou. Parece que estavam mesmo destinados a serem amigos. Pacey o melhor amigo de Dawson não perdeu tempo a dizer a Joey os seus verdadeiros sentimentos. Apesar da indiferença inicial de Joey, apaixonaram-se e ficaram juntos, mesmo após muitas peripécias. Finalmente Dawson conseguiu dar a bênção aos seus melhores amigos.

Clark – Lana – Lex (Smallville)

smallville

Ainda não percebi bem como isto foi acontecer. Clark sempre se mostrou apaixonado pela rapariga do lado, Lana Lang. Contudo a rapariga estava sempre rodeada por outros admiradores. Depois de Clark a salvar vezes sem conta, o casal lá deu uma oportunidade. Não resultou. Afinal Clark tinha demasiados segredos e não tinha intenção de os partilhar. Foi nesse momento que apareceu Lex, e confortou a jovem. Apesar de anteriormente não mostrarem interesse nenhum no outro. No final seguiram caminhos separados e como sabemos Clark Kent é de Lois Lane.

Mark – Bridget – Daniel (O diário de Bridget Jones)

bridget-jones

Bridget Jones é uma trintona que só gostava de ter sorte no amor. Pediu tanto que lhe apareceu em dose dupla. Mark Darcy, homem cavalheiro, elegante e trabalhador. E por outro lado temos Daniel, um mulherengo de primeira que sabe como encantar as mulheres. Cabe a Bridget escolher o seu partido, e de uma forma hilariante já sabemos quem vai escolher.

Meredith – Derek – Adison (Anatomia de Grey)

anatomia-de-grey

Pelo menos encontrei um caso de um homem entre duas mulheres. Em “Anatomia de Grey“, Meredith, uma estagiária de medicina num hospital, apaixona-se pelo seu médio chefe, muito antes de saber quem este era. O romance estava a correr bem, com alguns conflitos, mas até que descobre que afinal Derek era casado. Adison entra em cena e apesar de ainda tentar recuperar o marido, aceita o divórcio. Mas ainda foi uma longa espera de contratempos.

Crítica: Hunger Games – A Revolta Parte 2

A Guerra em Panem está mais próxima de eclodir e prevê-se uma destruição dos distritos. Katniss Everdeen o rosto da revolução liberal , pretende juntar um exercito para combater contra o Presidente Snow e assim conseguir equilibrar a sociedade.

Título: The Hunger Games: Mockingjay Part 2
Ano: 2015
Realização: Francis Lawrence
Interpretes: Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson, Liam Hemsworth…
Sinopse: A Guerra em Panem está mais próxima de eclodir e prevê-se uma destruição dos distritos. Katniss Everdeen o rosto da revolução liberal , pretende juntar um exercito para combater contra o Presidente Snow e assim conseguir equilibrar a sociedade.

Jennifer Lawrence voltou a ser a guerreira Katniss Everdeen para o derradeiro final de “Hunger Games”. A saga juvenil encheu as salas de cinema e tal promoveu para o sucesso do filme. Quanto a mim, bastou-me o primeiro filme (apesar de assistir à saga completa) para perceber que já vi coisinhas melhores. O melhor é mesmo o primeiro, os seguintes filmes são saturantes. Se quiserem relembrar as críticas anteriores estão aqui, aqui e aqui. A cada filme perde qualidade, no entanto neste último ganha uma nova energia já há muito perdida. Katiniss agora com um exercito de rebeldes tem o objectivo de derrubar o reinado do Presidente Snow, abusador do poder. Como seria de esperar do género desta obra cinematográfica são expostas sequências de ação, explosões excelentes. A história progride lentamente (é para conseguir as 2 horas de filme) até aos seus contornos finais. Jennifer Lawrence mantém-se fiel à personagem, determinada e corajosa com apenas um objectivo em pensamento. Julianne Moore merecia outro destaque que não recebeu. A sua personagem faz lembrar Kate Winslet no filme “Divergente“. O que é pena que excelentes atrizes participem neste género de filme só para mostrar nome.

Apesar se considerar necessário mortes de guerra e lamento os spoilers, mas considerei o destino de algumas personagens uma fraude. Finnick morreu de uma forma cruel e pouco lamentada, e a Prim que morte desnecessária. Afinal Katniss entra nos jogos da fome por causa da irmã, quase que morre no penúltimo filme por causa da irmã que foi à procura do gato, e Prim morre no final. Enfim. Já o destino de Gale também foi insosso, mas é o que temos. Eu sempre esperava que Katniss ia ficar com Peeta, o que não esperava foi a forma como terminou para os dois. A mulher guerreira e cara de uma revolução estava agora como uma dona de casa e com dois filhos nos braços. Esta história de contos de fada, não me convence. Apesar da tentativa, “Hunger Games” continua com uma premissa muito jovem e pouco sério. Espera mais, pelo menos um final mais apelativo. O blogue atribui 3 em 5.

Rating: 3 out of 5.

Crítica: The Hunger Games A Revolta – Parte 1

E a saga continua. Outro filme de Hunger Games, que apesar de encher os cinemas ainda não me convenceu em nada. Em cada filme a minha consideração pela história desce drasticamente. Neste quarto temos o seguimento do “Hunger Games Em Chamas” a luta de Katniss contra a Capital continua igual, e de filme para filme não existe evolução nenhuma.

The Hunger Games: A Revolta – Parte 1 ou em título original The Hunger Games: Mockingjay  – Part 1 é um filme de 2014, realizado por Francis Lawrence, com as participações de Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson, Liam Hemsworth nos principais papéis. Sinopse: O fenómeno mundial de «Os Jogos da Fome» continua a incendiar o mundo com «The Hunger Games: A Revolta – Parte 1», onde encontramos Katniss Everdeen no Distrito 13, depois de estilhaçar literalmente os jogos para sempre. Sob a liderança da Presidente Coin e o conselho dos seus amigos de confiança, Katniss estende as suas asas ao lutar para salvar Peeta e uma nação comovida pela sua coragem. (Fonte: Cinema Gate).

E a saga continua. Outro filme de Hunger Games, que apesar de encher os cinemas ainda não me convenceu em nada. Em cada filme a minha consideração pela história desce drasticamente. Neste quarto temos o seguimento do “Hunger Games Em Chamas” a luta de Katniss contra a Capital continua igual, e de filme para filme não existe evolução nenhuma. Em “A Revolta – Parte 1” um grupo de rebeldes juntam-se, e pretendem que Katniss (Jennifer Lawrence) seja a cara da revolta. Isso mesmo. Provocações do lado da Capital e provocações do lado dos rebeldes e pronto nada de extraordinário acontece. Quer dizer acontece, a heroína lança uma seta e a mesma é capaz de destruir um avião. Como? Não sei, mas acontece. Sinceramente nem sei porque dividiram este último filme em duas partes. Apenas comércio obviamente. Foram duas horas de drama, de palavras não ditas e ações não feitas.

Jennifer Lawrence continua na liderança do papel que lhe deu fama, e já é das jovens mais bem pagas devido ao seu sucesso neste filme. Donald Sutherland está bem como vilão, não jogando à toa os dados contra o protesto. Philip Seymour Hoffman, falecido o ano passado, ainda conseguiu gravar a maioria das suas cenas. Não influenciando a história principal. Da Julianne Moore esperava-se mais. Concluindo este é um filme que aborda o marketing de uma revolução, numa campanha que pretende influenciar as pessoas a aderir ao manifesto. Não emociona, não cativa, não surpreende. É muito morno. Só para fãs é que aconselho. O Blogue atribui 3 estrelas em 5.

Rating: 3 out of 5.

Crítica: Hunger Games – Em Chamas

A continuação das Aventuras de Katniss Everdeen, num futuro não muito distante, onde os E.U.A. sucumbiram a secas, guerras, fogos e fome, e deram lugar a Panem, dividido em 12 Distritos. Nesta filme teremos um novo Jogos da Fome que desta vez acontecerá algo nunca antes visto, os vencedores de todos os jogos vão ser eleitos como forma de lutarem contra si. A nossa protagonista Karniss Evergreeen (Jennifer Lawrence) terá de se por à prova novamente, desta vez tem o chefe dos Distritos contra a jovem. Como será que Katniss vai liderar esta revolução?

Hunger Games Catching Fire é um filme de 2013, realizado por: Francis Lawrence e interpretado por Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson, Liam Hemsworth. Sinopse: A continuação das Aventuras de Katniss Everdeen, num futuro não muito distante, onde os E.U.A. sucumbiram a secas, guerras, fogos e fome, e deram lugar a Panem, dividido em 12 Distritos. Nesta filme teremos um novo Jogos da Fome que desta vez acontecerá algo nunca antes visto, os vencedores de todos os jogos vão ser eleitos como forma de lutarem contra si. A nossa protagonista Karniss Evergreeen (Jennifer Lawrence) terá de se por à prova novamente, desta vez tem o chefe dos Distritos contra a jovem. Como será que Katniss vai liderar esta revolução?

Mais um filme da saga Hunger Games baseado num conjunto de três livros a história que segue Katniss Evergreen continua, desta vez, como vencedora dos Jogos da Fome terá de seguir o seu papel e tentar manter a paz entre os distritos, enquanto isso terá de fingir o seu amor por Peeta, outro vencedor. No entanto devido às suas atitudes heróicas e ao seu comportamento corajoso a jovem terá consigo novos seguidores, contudo não é o que ambiciona pois isso causa a morte aos mais inocentes. Numa jogada de querer eliminar Katniss, o Presidente dos Distritos, Sr. Snow, decide criar uns novos Jogos, mas desta vez mais díficeis, onde que tem como principal objectivo, derrotar Katniss no seu próprio jogo.

O que falha neste Hunger Games é talvez a falta de energia e estratégia, pois comparando com o anterior, conseguia mostrar mais esse estatuto, no entanto este demonstra mais companheirismo e um romance mais forçado. Os atores estão a crescer e isso nota-se durante este filme. O final fica em aberto para o próximo, mas isso não podíamos esperar mais. Este filme tem uma história até interessante, mas que poderia ser mais aproveitada, pois consegue ter algumas falhas que não foram bem explicadas e apesar de ser num mundo futuro, torna-se muito desumano. O Blog atribui 3, 5 estrelas em 5.

Rating: 3 out of 5.

Crítica: Hunger Games – Jogos de Fome

A história circula em volta de Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence), num mundo pós-apocalíptico onde reina o caos, a guerra e a fome. O mundo que conhecemos não é mais o mesmo, este esta dividido em 12 distritos, em apenas um país único, onde os governantes snobs vivem bóemicos na cidade Capitol, não se interessando pela pobreza dos outros distritos. A jovem Katniss é uma das pobres do distrito 12

Hunger Games ou Jogos da Fome é um filme de 2012 realizado por Gary Ross e tem como protagonistas Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson, Woody Harrelson, Stanley Tucci e  Elizabeth Banks. A história deste filme teve o seu início na literatura, com o “best-seller” mundial de  Suzanne Collins, o primeiro livro de uma trilogia, que começou em 2008 e terminou em 2010. Este ano o famoso livro foi adaptado para a sétima arte.

A história circula em volta de Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence), num mundo pós-apocalíptico onde reina o caos, a guerra e a fome. O mundo que conhecemos não é mais o mesmo, este esta dividido em 12 distritos, em apenas um país único, onde os governantes snobs vivem bóemicos na cidade Capitol, não se interessando pela pobreza dos outros distritos. A jovem Katniss é uma das pobres do distrito 12.

Vivendo sempre em suporto da família, dando apoio à mãe que desde a morte do marido nunca foi a mesma e protecção à sua irmã mais nova, Prim. Porém Katniss faz tudo para sobreviver, através da sua habilidade para o arco e a flecha, a jovem consegue dar subsistência de alimento à família. Contudo para manter a paz entre os 12 distritos revoltados, todos os anos, cada Distrito tem a obrigação de dar dois tributos humanos, um rapaz e uma rapariga para competirem nos famosos Jogos da Fome, onde apenas um pode sobreviver. Neste ano celebram-se os 74ª Jogos da Fome, Katniss vê-se obrigada a participar para salvar a vida da irmã, juntamente com Peeta, um rapaz do mesmo distrito, pelo qual sempre teve um fraquinho por ela.

Katniss está num mundo com a qual nunca esteve habituada. Porém para sobreviver à selva dos Jogos da Fome terá de ser perspicaz, utilizando a sua força e a ajuda da natureza, para conseguir voltar para a sua família. No entanto tem outra terrível missão, assassinar os restantes 23 concorrentes do jogo, incluindo o seu parceiro de equipa, para sair viva da arena. Será que Katniss vai conseguir?

Curiosamente na minha opinião devido à imensa informação que nos é  divulgado no livro, penso que no filme esses dados estão bem compactados, par a todo um mundo novo que nos é mostrado. Contudo à medida que os Jogos começam a narrativa do filme, vai perdendo fluxo, desvanecendo um pouco. Pois estamos sempre à espera de um pouco mais. De facto que este filme reflecte uma enorme crítica social aos governantes, sendo que a ideia da competição dos jogos da fome é um pouco ilusória e muito desumana. Porém o filme estava bom e espera-se agora pelos restantes dois. Na minha opinião o filme merece 4 estrelas em 5.