Vídeo Musical – Hércules


O interprete espanhol David Bisbal interpreta a música “No importa la distancia” para o filme de animação da Disney, “Hercules“. A primeira versão da música foi interpretada pelo músico Ricky Martin.

Crítica: Hércules (1997)

O filho do Deus grego Zeus e Hera foi raptado e retiraram-lhe a imortalidade enquanto ainda era bebé. Como forma de receber o que outrora lhe foi retirado terá de se tornar um herói na terra.

Título: Hercules
Ano: 1997
Realização: Ron Clements e John Musker
Interpretes: Tate Donovan, Susan Egan, James Woods, Danny deVito
Sinopse: O filho do Deus grego Zeus e Hera foi raptado e retiraram-lhe a imortalidade enquanto ainda era bebé. Como forma de receber o que outrora lhe foi retirado terá de se tornar um herói na terra.

O filme já não é de agora, mas numa súbita vontade de reviver clássicos da Disney, “Hércules” foi a opção escolhida. Este estúdio de animação sempre tiveram grande impacto na vida das crianças. Digo eu que ano a ano lá saía um filme da Disney. Eu adorava-os a todos. “Hércules” não era exceção, mesmo agora passados 18 anos eu continuo a gostar. Apesar do desenho demasiado geométrico e as paisagens delineadas sem pormenor, este filme ainda continua a ter a sua magia. Talvez por isso sempre procurei igualar a qualidade da história com outros filmes, por exemplo Hércules (2014) e Hércules: A Lenda Começa, mas não bastou, o da Disney continua a ser melhor, pois descreveu a história mais fiel à lenda grega (mas de uma forma mais censurada). Ou então não há nada como a série “As aventuras de Hércules” (95-99) que eram transmitidos em longos episódios ao sábado à tarde. Seja como for estes géneros de filmes são a razão das minhas boas notas à disciplina história. Este filme conta a história de “Hércules” um jovem simples que é completamente ignorado pelos outros, só mais tarde descobre que os seus pais são Deuses no Olimpo. Ora, Hércules não quer saber nada de grandezas apenas deseja sentir-se integrado e por isso decide tornar-se num herói. Claro que existe um vilão para atrapalhar a jornada do jovem, esse é Hades. Na minha opinião dos melhores vilões da Disney e que agora podemos vê-lo em Once Upon a Time. Falei do herói, falei do mauzão, mas não é tudo, existe os amigos de Hércules, Fill e Pegasus e ainda a donzela em perigo, Megara ou Meg para os amigos.

O formato cliché destas histórias de animação, faz com que facilmente percebemos as cenas seguintes. Mas as cenas acompanhadas com momentos de comédia e canções que ficam no ouvido, o sucesso torna-se garantido. Hoje em dia já não há filmes de animação assim, são mais sérios e tristes. Nesta altura os protagonistas podiam cair de um penhasco que ficava tudo bem. Agora já não é bem assim. “Hércules” apesar de tudo continua a ser uma excelente animação e não decepciona, mesmo passando anos da última vez que vi o filme. Devemos recordar momentos que nos sentimos felizes. O blogue atribui 3, 5 estrelas em 5.

Rating: 3 out of 5.

Crítica: Hércules

Simultaneamente homem e mito, Hércules lidera um grupo de mercenários que tentam ajudar a pôr fim a uma sangrenta guerra civil na Trácia e a devolver o trono ao rei legítimo. Uma alma atormentada desde que nasceu, Hércules tem a força de um Deus mas sofre como um ser humano. Vilões inimagináveis testarão o mítico poder de Hércules, nesta corajosa abordagem do realizador Brett Ratner a um dos heróis de ação mais épicos de todos os tempos.

Título: Hercules
Ano: 2014
Realização: Brett Ratner
Interpretes: Dwayne Johnson, Irina Shayk, Rebecca Ferguson
Sinopse: Simultaneamente homem e mito, Hércules lidera um grupo de mercenários que tentam ajudar a pôr fim a uma sangrenta guerra civil na Trácia e a devolver o trono ao rei legítimo. Uma alma atormentada desde que nasceu, Hércules tem a força de um Deus mas sofre como um ser humano. Vilões inimagináveis testarão o mítico poder de Hércules, nesta corajosa abordagem do realizador Brett Ratner a um dos heróis de ação mais épicos de todos os tempos. (Fonte: Sapo Mag)

Tinha outra ideia sobre como seria este filme, contudo gostei do facto de haver uma renovação na história do mítico Hércules. A história deste herói grego sempre me fascinou, aliás toda a mitologia envolvida me fascina. Desde que a Disney lançou o filme Hércules, ainda mais a minha curiosidade aumentou. Depois da terrível desilusão do filme Hercules – A Lenda Começa que tive receio de ver este filme, estreado na mesma época. Bem apesar de também este filme ser fraquinho, não vejo o The Rock com cara de deus grego. Estava à espera que fosse explicado como Hércules ultrapassou os 12 trabalhos, mas afinal a sua história era uma fraude. Por outro lado achei interessante o facto desta personagem ter um grupo de mercenários a seu lado, cada um com uma personalidade diferente: uma rapariga amazona, um sobrinho falador, um forte guerreiro que não falava, um braço direito na batalha e um amigo vidente.

Além da ação à época inerente, este filme também propõe momentos de comédia. O cenários estão bem elaborados como seria de esperar e a presença de Dwayne Johnson é notória, consegue comandar bem o filme em momentos de batalha, mas quando relembrar o seu dramático passado, não consegue comover, mostrando um olhar de tristeza muito forçado. A  modelo Irina Shayk (ex-namorada de Cristinao Ronaldo e atual namorada de Bradley Cooper) diz apenas uma frase e desaparece, que na minha opinião este pareceu-me um papel comprado. Admirei o mistério no segredo de Hércules e que apenas no filme a verdade é revelada. Concluindo este é um filme de domingo à tarde, que não trás nada de novo. O blogue atribui 3 estrelas em 5.

Rating: 3 out of 5.

Crítica: Hércules – A Lenda Começa

Em 1200 A.C, na Grécia Antiga, uma rainha sucumbe à sedução de Zeus com a promessa de lhe gerar um filho que um dia consiga trazer a paz ao reino, destronando o atual rei. Mas este príncipe, Hércules, desconhece a sua verdadeira identidade e o seu destino. Deseja apenas uma coisa: o amor de Hebe, a Princesa de Creta, que está prometida em casamento ao irmão de Hércules. Quando Hércules finalmente descobre a sua herança, é obrigado a fazer uma escolha: fugir com o seu verdadeiro amor ou cumprir o seu destino e tornar-se o verdadeiro herói do seu tempo.

Hércules: A Lenda Começa, é um filme de 2014, realizado por Renny Harlin e protagonizado por Kellan Lutz, Gaia Weiss, Scott Adkins nos principais papéis. Sinopse: Em 1200 A.C, na Grécia Antiga, uma rainha sucumbe à sedução de Zeus com a promessa de lhe gerar um filho que um dia consiga trazer a paz ao reino, destronando o atual rei. Mas este príncipe, Hércules, desconhece a sua verdadeira identidade e o seu destino. Deseja apenas uma coisa: o amor de Hebe, a Princesa de Creta, que está prometida em casamento ao irmão de Hércules. Quando Hércules finalmente descobre a sua herança, é obrigado a fazer uma escolha: fugir com o seu verdadeiro amor ou cumprir o seu destino e tornar-se o verdadeiro herói do seu tempo. (Fonte: CinemaGate).

Em primeiro lugar aviso sinceramente que bem não vou falar bem deste filme, isto porque toda a sua produção é medíocre, onde escasso é o aspecto positivo que não é nenhum. Quando comecei a assistir a esta película pensava que ia assistir à verdadeira lenda do herói grego Hércules, e das suas tarefas como semi-deus, no entanto o que recebi foi um filme fraco, onde apenas explorava o lado romântico do protagonista, sendo que não corresponde à sua história real. Pois Hércules era um lutador e sobrevivente, não era um D. Juan dos tempos antigos. Na minha opinião esta foi uma história muito mal conseguida e sem interesse nenhum.

Não foi só com a história do filme que me desiludi, também com os atores que não levaram a sério o seu papel, sendo o que mais me interessou, foi o rei tirano que pretendia a morte do seu filho Hércules. O diálogo também não estava bem constituído, com conversas de xáxá que não levavam a um desenvolvimento das personagens. Talvez o que de melhor se realizou neste filme foi alguns efeitos especiais, que nos faziam lembrar a história do filme 300. Fora isso deve dizer que o filme está mesmo medíocre, e não aconselho a assistir, com o conselho de que pode adormecer ainda o filme não está nos seus 30 minutos. Existem muitos filmes do herói Hércules e eu que ainda não vi todos, dou a minha opinião que este é o pior.O Blog atribui 1,5 estrelas em 5.

Rating: 3 out of 5.