Novembro é o mês….da barba

Apresentação das melhores barbas do cinema.

Novembro é o mês da barba. E como tal o blogue Beautifuldreams decidiu criar uma lista das melhores barbas do mundo do cinema e televisão. Ficam aqui as ideias.

Hagrid

hagrid

De barba robusta Hagrid surgiu no universo de Harry Potter como aquele que o informa que é feiticeiro. De bom coração o protetor do castelo tornou-se amigo de Harry desde o primeiro instante. A sua inocência  e compaixão pelos outros torna Hagrid um bom companheiro.

Bob Barnes

syrianna

Não estamos habituados a ver George Clooney assim. Com um look mais desleixado e barba por fazer assim é no filme Syriana (2005). Bob Barnes é um agente da CIA metido numa guerra de organizações.

Khal Drogo

Khal-Drogo-5

Segundo a lenda dos dothraki, clã dos livros e série Guerra dos Tronos, um verdadeiro homem mede-se pelo tamanho da sua barba e pelo tamanho do seu cabelo. Khal Drogo era líder do clã e tal era reconhecido pela sua aparência muito masculina.

Gandalf

gandalf

Um verdadeiro feiticeiro que se preze tem de ter longas barbas. Mostra sinal de sabedoria e conhecimento. Em Senhor do Anéis, Gandalf é um excelente feiticeiro e as suas longas barbas brancas comprovam-no.

Rick Grimmes

rick

Em Walking Dead a sobrevivência é o mais importante e certos hábitos são deixados de lado. Acompanhamos o crescimento da barba de Rick de temporada para temporada. Agora já não está assim, mas a sua barba era sinal de masculinidade no combate aos mortos-vivos.

 Obi-Wan Kenobi

obi wan kenobi

Ora aqui está outro exemplo de que para se ser mestre tem de se mostrar algum respeito e a barba branca mostra outra vez posição. Na luta contra o lado negro da força Obi Wan Kenobi em Star Wars era um homem muito respeitado.

Rei Triton

king triton

No filme da Disney de 1989 “A Pequena Sereia”, o rei Triton era um pai muito preocupado. O seu tridente mostrava quem é que manda nos mares. Quanto às suas longas barbas brancas eram o seu símbolo de força.

Blondie

clint-eastwood

Em 1966 o ator Clint Eastwood fazia a delícia das mulheres. Foi através do filme “O Bom, O Mau e o Vilão” que conhecemos uma das melhores barbas do cinema. Com um estilo de mauzão do verdadeiro western é difícil dizer que não a uma barba tão bem aparada como esta.

Hugh Glass

the revenant

Leonardo Dicaprio é outro ator que normalmente não estamos habituados a ver de barba. Bem, apenas nos seus filmes e passadeira vermelha, porque no seu dia-a-dia o ator adopta este look. Ainda não estreou o filme The Revenant de Alejandro González Inãrritu, mas já está a dar que falar  pela aparência de Dicaprio.

Rei Leonidas

300

Outra barba invejável é de Gerard Butler no filme 300 como rei Leonidas. O seu grito de Ipiranga convenceu 300 homens do seu exército a ir para uma batalha impossível. O esperado aconteceu, não conseguiu vencer mas verdade seja dita a sua barba deu-lhe imenso estilo, e quem sabe talvez não foi por causa disso que convenceu tanta gente.

A não perder: Área de Contenção – Encontros Internacionais de Cinema Fantástico e de Horror

Já pensaram o que vão fazer este fim-de-semana? Ainda não? Eu tenho a solução.

12168704_10206579607826230_1215987377_o

Durante os dias  6, 7 e 8 de Novembro visite a cidade do Cartaxo para sessões de terror. Área de Contenção – Encontros Internacionais de Cinema Fantástico e de Horror tem à sua espera filmes de todo o mundo: Portugal, Reino Unido, E.U.A., França, Japão… e muito mais. Não tem nada de enganar, o espaço escolhido foi o Centro Cultural do Cartaxo. Com filmes em competição que se dividem nas seguintes categorias: seleccção Oficial (Longas e Curtas-Metragens), Out Of The Box (Prémio do Público) e Monstros Debaixo da Cama, haverá ainda espaço para uma homenagem a Christopher Lee. Para os fãs do cinema de horror e não só este é um evento a não perder.

Queres saber mais?

Website

Facebook

25 em 25 anos

Recentemente fiz 25 anos e como tal decidi fazer uma pesquisa dos acontecimentos que marcaram o entretenimento desde 1990 e como tal também fazem 25 anos em 2015.

Continuar a ler “25 em 25 anos”

O estilo de Keira Knightley

Keira Knightley tem apenas 30 anos, mas já tem uma carreira bem delineada. Keira Knightley é uma atriz britânica que escolhe bem os filmes em que marca presença. Com um estilo mais conservador típico das suas origens, Keira é normalmente escolhida para papéis de época. Vestidos Compridos típicos de uma dama, a atriz está sempre bem apresentada, e normalmente a sua personagem pertence à nobreza. Vamos relembrar o estilo da atriz pelos seus filmes.

Keira Knightley tem apenas 30 anos, mas já tem uma carreira bem delineada. Keira Knightley é uma atriz britânica que escolhe bem os filmes em que marca presença. Com um estilo mais conservador típico das suas origens, Keira é normalmente escolhida para papéis de época. Vestidos Compridos típicos de uma dama, a atriz está sempre bem apresentada, e normalmente a sua personagem pertence à nobreza. Vamos relembrar o estilo da atriz pelos seus filmes.

Continuar a ler “O estilo de Keira Knightley”

O estilo de Helena Bonham Carter

Com um estilo único a atriz britânica Helena Bonham Carter é conhecida por todos nós por interpretar as mais variadas personagens. E os seus papéis escolhidos a dedo, transparecem a sua personalidade. Tal como o estilo utilizado. Nos seus filmes, normalmente apresenta-se com o cabelo desgrenhado e roupas escuras com estilo gótico (a única exceção talvez tenha sido quando foi a fada madrinha na Cnderela). Ora vamos recordar alguns dos principais filmes da atriz

Com um estilo único a atriz britânica Helena Bonham Carter é conhecida por todos nós por interpretar as mais variadas personagens. E os seus papéis escolhidos a dedo, transparecem a sua personalidade. Tal como o estilo utilizado. Nos seus filmes, normalmente apresenta-se com o cabelo desgrenhado e roupas escuras com estilo gótico (a única exceção talvez tenha sido quando foi a fada madrinha na Cnderela). Ora vamos recordar alguns dos principais filmes da atriz.

Continuar a ler “O estilo de Helena Bonham Carter”

Crítica: Vingadores – A Era de Ultron

Algo corre mal com o programa de manutenção de paz iniciado por Tony Stark. Os super-heróis mais poderosos do planeta Terra, incluindo o Homem de Ferro, Capitão América, Thor, Incrível Hulk, Viúva Negra e o Gavião Arqueiro são colocados à prova enquanto salvam o planeta da destruição pelo vilão Ultron.

Os heróis voltaram!

Vingadores: A Era de Ultron ou em título original Avengers: Age of Ultron é um filme de 2015, realizado por Joss Whedon, e com as participações de Aaron Taylor-Johnson, Chris Hemsworth, Elizabeth Olsen,  Hayley Atwell, Robert Downey Jr., Scarlett Johansson, Mark Ruffalo, Samuel L. Jackson, Chris Evans, entre outros. Sinopse: Algo corre mal com o programa de manutenção de paz iniciado por Tony Stark. Os super-heróis mais poderosos do planeta Terra, incluindo o Homem de Ferro, Capitão América, Thor, Incrível Hulk, Viúva Negra e o Gavião Arqueiro são colocados à prova enquanto salvam o planeta da destruição pelo vilão Ultron.

O grupo de heróis da Marvel voltou a juntar-se para mais uma aventura. Desta vez é contra o robô Ultron, inteligência artificial que tem como objectivo erradicar por completo a raça humana. Numa luta contra o tempo os Vingadores vão fazer de tudo para salvar o Planeta Terra. O filme tem tudo para ser bom: é da Marvel, tem ação (muita ação), umas piadas pelo meio, é realizado por Joss Whedon e junta heróis com poderes de outro mundo. Mas…(sim, existe um mas) perde pelas demasiadas histórias que acontecem em simultâneo, pelo facilitismo, pela falta de informação inerente às situações que as personagens vivem, e o vilão podia ter sido muito mais aproveitado. No filme apenas preocuparam-se nas cenas de ação (que verdade seja dita estão espectaculares), deixando de parte o conteúdo da história. Contudo, não é por isso que não deixa de ser um sucesso de bilheteiras. Não, muito pelo contrário, o público gosta de ver efeitos especiais, lutas inesquecíveis, personagens marcantes e vilões com carácter. E os Vingadores tem isso tudo.

 O filme ganha por si admiradores nas peripécias de luta (admito são das melhores que já vi), nos efeitos visuais, a tecnologia a 3D cada vez mais favorece o cinema e a coordenação entre as personagens. Nesta segunda película todas as personagens tem o real destaque que merecem, e o trabalho em equipa está ao rubro. Gostei Capitão América e Gavião Arqueiro, personagens que não me identificava muito. Mas achei a relação entre a Viúva Negra e o Hulk muito forçada e sem interesse para o desenvolvimento da história. O realizador Joss Whedon afirmou que o filme encontra-se demasiado saturado, que queria colocar cenas do Loki, como forma de introdução do terceiro filme do Thor, mas que não conseguiu devido à demasiada informação que este já continha. Também partilho da mesma opinião, mas no geral está um filme bastante apelativo. Para os fãs está fantástico, mas para quem ainda não é, não é desta que vai ficar. O blogue atribui 3,5 estrelas em 5.

Rating: 3 out of 5.

Crítica: A Culpa é das Estrelas

A história conta-nos como Hazel e Augustus Waters se apaixonam quando se conhecem num grupo de apoio e a maneira extraordinária como ambos encaram o pouco tempo que têm para aproveitar a vida. As vidas de Hazel e Augustus vão sofrer uma inesperada e incrível reviravolta como nunca tinham sonhado, quando juntos vivem uma pequena eternidade recheada de amor, coragem e esperança, capaz de tocar qualquer um. Inspirado no romance best-seller do premiado John Green o filme explora uma contagiante e divertida aventura de dois adolescentes em fase terminal

A culpa é das estrelas ou em título original The Fault in our stars é um filme de 2014, realizado por Josh Boone, com as participações de Ansel Elgort, Laura Dern, Nat Wolff, Sam Trammell, Shailene Woodley e Willem Dafoe. Sinopse: A história conta-nos como Hazel e Augustus Waters se apaixonam quando se conhecem num grupo de apoio e a maneira extraordinária como ambos encaram o pouco tempo que têm para aproveitar a vida. As vidas de Hazel e Augustus vão sofrer uma inesperada e incrível reviravolta como nunca tinham sonhado, quando juntos vivem uma pequena eternidade recheada de amor, coragem e esperança, capaz de tocar qualquer um. Inspirado no romance best-seller do premiado John Green o filme explora uma contagiante e divertida aventura de dois adolescentes em fase terminal. (Fonte: Sapo Cinema).

Baseado no livro de John Greeen que já falei aqui. A Culpa é das estrelas é um filme juvenil, carregado de melodramas e romance. Dois jovens com cancro, apaixonam-se e ambos sabendo o pouco tempo que lhes resta, decidem aproveitar ao máximo o que podem. Numa aventura contra o tempo, este não o filme teen típico. Conversas filosóficas fluem naturalmente, onde o diálogo é inteligente e foge um pouco à regra daquilo que é padrão neste tipo de filmes. Mas não é tudo, The Fault in our stars apesar de seguir a história de “boy mets girl”, consegue sensibilizar e torna-se por isso inspirador. Além das dificuldades que a doença trás para a vítima, também a família é prejudicada. Mas com esperança e união todas as barreiras são ultrapassadas. Não aceitando que a morte seja o fim do caminho, aqui acredita-se na perseverança humana.

O cancro é vivido com otimismo por parte das personagens principais. Apesar dos seus devaneios, problemas e indecisões, típicas da idade conseguem enfrentar a vida com mais expectativa do que os adultos. Mesmo sabendo o seu destino, tem força para viver. Se pensarem que já conhecem o final, enganam-se. A mim surpreendeu-me e claro as lágrimas apareceram. Mesmo lendo o livro, digo já que na minha opinião o livro é bem melhor do que o filme (como seria de esperar). Quanto ao elenco temos Shailene Woodley e Ansel Elgort a liderar, fazendo parte como um dos casais do ano. E atenção a estes dois pois as suas carreiras estão a crescer positivamente. Concluindo este filme transmite a mensagem que mesmo em tempos difíceis, devemos tentar ser o mais optimistas possível. O blogue atribui 3 estrelas em 5.

Rating: 4 out of 5.

Crítica: Cinderela (2015)

Os contos de fadas estão na moda, depois da versão live-action de Maléfica de 2014, que contava o outro lado da história de uma das vilãs da Disney, este ano foi a vez de Cinderela. Que, apesar de já ter uma vasta filmografia, ainda nenhuma era uma versão fiel à original. Não será a última, já foi confirmado que para o ano teremos a oportunidade de assistir A Bela e o Monstro no cinema.

Os contos de fadas estão na moda, depois da versão live-action de Maléfica de 2014, que contava o outro lado da história de uma das vilãs da Disney, este ano foi a vez de Cinderela. Que, apesar de já ter uma vasta filmografia, ainda nenhuma era uma versão fiel à original. Não será a última, já foi confirmado que para o ano teremos a oportunidade de assistir A Bela e o Monstro no cinema.

[LER MAIS]

Oscares 2015

oscars-2015
Numa cerimónia conduzida por Neil Patrick Harris, “Birdman” foi o grande vencedor da noite mais aguardada do cinema, venceu nas principais categorias. “Boyhood” foi o grande derrotado, com apenas um oscar que ganhou. Esta foi uma gala cheia de surpresas. Ora vê a lista:

Melhor Filme

  • Boyhood
  • Birdman
  • The Imitation Game
  • Selma
  • The Theory of Everything
  • Whiplash
  • The Grand Budapest Hotel
  • American Sniper

Melhor Realizador

  • Richard Linklater, Boyhood
  • Alejandro González Iñárritu, Birdman
  • Wes Anderson, The Grand Budapest Hotel
  • Bennett Miller, Foxcatcher
  • Morten Tyldum, The Imitation Game

Melhor Ator

  • Michael Keaton, Birdman
  • Eddie Redmayne, The Theory of Everything
  • Benedict Cumberbatch, The Imitation Game
  • Steve Carell, Foxcatcher
  • Bradley Cooper, American Sniper

Melhor Atriz

  • Julianne Moore, Still Alice
  • Reese Witherspoon, Wild
  • Rosamund Pike, Gone Girl
  • Felicity Jones, The Theory of Everything
  • Marion Cotillard, Two Days, One Night

Melhor Ator Secundário

  • J.K. Simmons, Whiplash
  • Ethan Hawke, Boyhood
  • Edward Norton, Birdman
  • Mark Ruffalo, Foxcatcher
  • Robert Duvall, The Judge

Melhor Atriz Secundária

  • Patricia Arquette, Boyhood
  • Laura Dern, Wild
  • Keira Knightley, The Imitation Game
  • Emma Stone, Birdman
  • Meryl Streep, Into the Woods

Melhor Argumento Original

  • Boyhood
  • Birdman
  • The Grand Budapest Hotel
  • Nightcrwaler
  • Foxcatcher

Melhor Argumento Adaptado

  • The Imitation Game
  • Inherent Vice
  • Whiplash
  • American Sniper
  • The Theory of Everything

Melhor Filme Estrangeiro

  • Ida (Polónia)
  • Timbuktu (Mauritânia)
  • Leviathan (Rússia)
  • Wild Tales (Argentina)
  • Tangerines (Estónia)

Melhor Filme de Animação

  • The Tale of the Princess Kaguya
  • Big Hero 6
  • How to Train Your Dragon 2
  • The Boxtrolls
  • Song of the Sea

Melhor Documentário

  • Citizenfour
  • Last Days in Vietnam
  • Finding Vivian Maier
  • Virunga
  • The Salt of the Earth

Melhor Montagem

  • American Sniper
  • Boyhood
  • The Grand Budapest Hotel
  • The Imitation Game
  • Whiplash

Melhor Fotografia

  • Emmanuel Lubezki, Birdman
  • Roger Deakins, Unbroken
  • Lukasz Zal e Ryszard Lenczewski, Ida
  • Robert Yeoman, The Grand Budapest Hotel
  • Dick Pope, Mr. Turner

Melhor Design de Produção

  • Into the Woods
  • Interstellar
  • The Grand Budapest Hotel
  • Mr. Turner
  • The Imitation Game

Melhor Maquilhagem e Cabelo

  • Foxcatcher
  • The Grand Budapest Hotel
  • Guardians of the Galaxy

Melhor Guarda-Roupa

  • Into the Woods
  • Maleficent
  • The Grand Budapest Hotel
  • Mr. Turner
  • Inherent Vice

Melhor Banda Sonora Original

  • Gary Yershon, Mr. Turner
  • Hans Zimmer, Interstellar
  • Jóhann Jóhannsson, The Theory of Everything
  • Alexandre Desplat, The Grand Budapest Hotel
  • Alexandre Desplat, The Imitation Game

Melhor Canção Original

  • “Glory”, Selma
  • “Grateful”, Beyond the Lights
  • “I’m Not Gonna Miss You”, Glen Campbell…I’ll Be Me
  • “Lost Stars”, Begin Again
  • “Everything is Awesome”, The LEGO Movie

Melhor Montagem de Som

  • Interstellar
  • Unbroken
  • The Hobbit: Battle of the Five Armies
  • American Sniper
  • Birdman

Melhor Mistura de Som

  • Interstellar
  • Whiplash
  • Birdman
  • Unbroken
  • American Sniper

Melhores Efeitos Visuais

  • Interstellar
  • Guardians of the Galaxy
  • Dawn of the Planet of the Apes
  • Captain America: The Winter Soldier
  • X-Men: Days of Future Past

Melhor Curta-Metragem Live Action

  • Boogaloo and Graham
  • Butter Lamp
  • The Phone Call
  • Aya
  • Parvaneh

Melhor Curta Metragem Documental

  • Crisis Hotline: Veterans Press 1
  • Joanna
  • The Lion’s Mouth Opens
  • The Reaper (La Parka)
  • White Earth

Melhor Curta-Metragem Animada

  • The Bigger Picture
  • Me And My Moulton
  • A Single Life
  • The Dam Keeper
  • Feast
(Fonte: Magazine HD)