Chasing Happiness

Documentário sobre o crescimento da banda familiar Jonas Brothers. O seu enorme sucesso, a ruptura e a música. Um retrato intimista sobre a banda.

Chasing Happiness” é um documentário real sobre a luta que a fama propõe. Os Jonas Brothers conheceram a fama muito rapidamente e isso trouxe percussões na sua estabilidade como família. De jovens adolescentes para ícones da música percorrem o caminho do sucesso, mas esbarraram-se, contudo souberam lidar com as suas emoções e não se distanciarem de si próprios.

Um documentário produzido pela Amazon Prime, com as próprias revelações de Kevin, Joe e Nick Jonas. Desde os seus primeiros anos, a perseguição do sonho e à concretização do mesmo. Com imagens inéditas em família de vídeos caseiros de infância e os bastidores de grandes momentos que marcaram a carreira dos artistas.

Com a direção de John Taylor acompanhamos os segredos íntimos da construção da banda Jonas Brothers. Nick o elemento mais novo, foi aquele que impulsionou à sua construção. Desde muito cedo que apresentava sinais de talento para a música e representação. Esta naturalidade artística espalhou-se pelos irmãos mais velhos que seguiram os seus passos e construiriam uma banda. Deixando para trás a igreja onde o pai era pastor e onde se iniciaram a atuar para estranhos, mas que rejeitavam por completo as letras que ousavam interpretar como banda de rock. Até à assinatura com o contrato com a Disney e o sucesso iminente das suas músicas. Após esgotarem vários concertos e os seus cd’s venderem como pãezinhos quentes, decidiram parar e dedicarem-se a outras áreas, mas separados.

Nesta fase mais difícil não houve mais retorno. Voltaram como pessoas diferentes, os os irmãos já quase não se falavam. Neste documentário Nick, Joe e Kevin desabafam sobre os seus verdadeiros sentimentos da altura e desculpam-se sobre o passado. Passados anos, voltam a unirem-se como banda e principalmente como irmãos. No ano passado lançaram uma nova música “Sucker” e ainda mais música original está a chegar. “Chasing of Happiness” fala de um sonho, da família e do encontro com o amor. Um documentário interessante e comovente sobre esta banda, que pormenores que nunca foram revelados.

James May – Our Man in Japan

James May – Our Man in Japan é uma fantástica odisseia de descoberta pelo país do sol nascente. O apresentador James May diverte-se enquanto explora as maravilhas do Japão.

O apresentador britânico James May aventura-se nas terras nipónicas na descoberta das tradições mais antigas do Japão. Numa viagem de 6 episódios conhecemos os segredos que este país esconde. Com uma produção especial da Amazon Prime Video, somos transportados para a Ásia e um país rico em fortes costumes.

Começamos a aventura deste documentário na ilha mais a norte do Japão, Hokkaido. O frio faz-se sentir e James May é puxado por um trenó de cães pelo gelo, e experimenta pela primeira vez uma luta de bolas de neve profissional. Ainda é convidado a entrar no restaurante mais pequeno, muito comum naquela região, onde todos sentem-se à vontade para conviver. James consegue amizade com um monge local e juntos sobem a montanha pelo frio e gelo. No final descontraem com um banho num onsen. A experiência do Japão não podia estar completa com uma ida a Tóquio, Osaka e Kyoto. A experiência de James é mesmo desvendar a barreira por estas tradições. Conhece um mestre fabricante de espadas samurais, participa num karaoke, tem um encontro com uma gueixa que lhe ensina a cerimónia do chá e a tocar um instrumento típico, visita os principais monumentos com um robô falante, participa no treino de sumo, vai pescar o seu próprio polvo e cozinha-o, entra numa luta de robôs, visita Hiroshima, e até é participante num festival dedicado ao pénis. Podem encontrar tudo isto e muito mais neste documentário bastante divertido e que não aborrece.

“James May: Our Man in Japan” é uma odisseia de descoberta num país fantástico. A língua não é problema, pois são pessoas muito humildes e carinhosas. Deu-me imediatamente vontade de viajar novamente até ao Japão. Para quem ainda não conhece estive lá no ano passado e os posts podem ler em baixo, juntamente com os vídeos que gravei.

Viagem – Parte 1
Viagem – Parte 2
Viagem – Parte 3

Chiara Ferragni Unposted

Chiara Ferragni foi certamente a primeira influencer de moda. A jovem italiana começou muito cedo com o seu blogue onde publicava fotos e pequenos vídeos da sua roupa do dia-a-dia e das viagens. A sua plataforma digital, Blonde Salad, cresceu e conseguiu ter uma visualização mundial. Foi quando as marcas repararam na sua potencialidade para publicidade.

Chiara Ferragni foi certamente a primeira influencer de moda. A jovem italiana começou muito cedo com o seu blogue onde publicava fotos e pequenos vídeos da sua roupa do dia-a-dia e das viagens. A sua plataforma digital, Blonde Salad, cresceu e conseguiu ter uma visualização mundial. Foi quando as marcas repararam na sua potencialidade para publicidade. Chiara tinha apenas 23 anos e já era das pessoas mais requisitadas para as grandes campanhas de moda e beleza. Atualmente com o crescimento das redes sociais, Chiara Ferragni é a cara de muitas campanhas e das pessoas com mais seguidores no mundo.

Durante este ano lançou no Festival de Veneza, que agora pode ser visto na Amazon Prime Video um documentário sobre os bastidores da sua vida profissional e pessoal. “Chiara Ferragni – Unposted“, realizado por Elisa Amoruso mostra imagens e vídeos inéditos da vida da blogger, desde criança, adolescente, aos primeiros trabalhos na moda, ao nascimento do primeiro filho e até ao casamento. Com cerca de quase 18 milhões de seguidores no Instagram, Chiara começou a sua carreira em 2009 com o seu blogue, desde aí só somou conquistas, sendo requisitada por várias marcas. Conhecida pelas conjugações de roupa e acessórios que faz, já lançou imensa aulas de maquilhagem online e é um caso de um enorme sucesso de empreendedorismo digital.

O documentário é interessante, mas não aborda uma sequência lógica de acontecimentos, focando-se apenas em intervenções elogiadoras a Chiara, não fala muito sobre o seu sucesso e caminho que percorreu. Esperava uma abordagem diferente de conteúdo.

Bright Lights: Com Carrie Fisher e Debbie Reynolds

Um documentário delicioso, familiar e muito intimista sobre a mãe e filhos que vivem no mundo da fama.

Um documentário delicioso, familiar e muito intimista sobre a mãe e filhos que vivem no mundo da fama.

Para muitos que como eu, não sabiam a atriz Carrie Fisher, a eterna Princesa Leia de Star Wars, é filha da conhecida também atriz Debbie Reynolds, protagonista do filme Serenata à Chuva. Infelizmente ambas partiram com um dia de diferença. Carrie sofreu complicações cardíacas e faleceu dois dias após o natal de 2016. Debbie não suportou a partida da sua filha e faleceu de seguida. Este documentário foi lançado em 2017, mas foi gravado meses antes dos trágicos acontecimentos. Tal causou mais impacto e foi complicado assistir para muitos dos fãs das atrizes.

Bright Lights” caminha sobre o amor e a família. Apesar da sua idade e do muito contributo que ofereceu a Hollywood, Debbie ainda continua a trabalhar e refere que não pretende parar. Mas a preocupação de Carrie pela saúde da mãe não tem explicação. Carrie está a trabalhar nas filmagens do novo filme de Star Wars: O Últimos Jedi. Também se junta Todd Fisher, filho e irmão. Conhecemos a história dos bastidores no mundo da fama e como a carreira de Carrie foi lançada quando foi a protagonista do filme Star Wars. Contudo e o facto de ser muito jovem e independente, ainda o facto de sofrer de depressão e doença bipolar, levaram que escolhesse o caminho errado de drogas e álcool. Vício muito fácil de encontrar em Hollywood, e que a perseguiu durante toda a vida. Apesar de se manterem um pouco afastadas, mãe e filha, durante alguns anos, voltam a juntarem-se e a cuidarem uma da outra. É Carrie que ajuda a mãe, quando recebe o prémio de menção honrosa de carreira pela academia de atores.

Conhecemos a casa com imensa memorabilia das atrizes. Pequenos e grandes itens de artigos importantes na época de ouro do cinema, que Debbie carinhosamente coleccionava. Somos apresentados a amigos íntimos da família e ainda conhecemos o pai de Carrie, Eddie Fisher, um músico muito conhecido da época. Acompanhamos os momentos finais em que Carrie brinca com o pai sobre o facto de ter deixado a mãe por Elizabeth Taylor. Um dos assuntos que mais se comentou na media na altura, pois Debbie e Eddie eram os sweethearts da imprensa.

Este documentário da HBO é claramente intimista pois as atrizes falaram abertamente da relação de ambas e conhecemos um pouco do local onde vivem. Um outro lado de Hollywood, mas que vivem como pessoas normais. Além disso foca-se no amor de uma mãe pelos seus filhos. Um documentário a não perder.

Magic for Humans

Justin William é o protagonista do fantástico programa de magia da Netflix. Magic for Humans é hilariante e faz-nos duvidar se a magia é real .

Do you believe in magic?

A plataforma digital Netflix produziu uma série original completamente baseada em magia. Justin William é mágico de profissão e protagonista desta série, Magic for Humans. Apesar dos poucos episódios por temporada, cada um com 25 minutos somos abordados com vários truques de ilusionismo presentes no nosso dia-a-dia. Difícil de acreditar eu sei, era muitas vezes surpreendida com sons de WoW, UAU! e “Como é que ele fez isto?” Mas a verdade é que Justin prometeu um programa com “pessoas reais, magia real e sem truques de câmara”.

Como uma fuga para a realidade, assistimos a fantásticos truques de magia que nos vão surpreender. A primeira temporada só tem seis episódios de 20 minutos cada. Existem truques de magia mais simples (para mim não) de cartas, até aos mais complexos como fazer aparecer e desaparecer objectos e até pessoas. Sendo que na sua maioria, o Justin faz truques utilizando apenas a boca, como cuspir alimentos. Vai ser difícil não pestanejar, para tentar perceber se é real. E tentarmos descobrir alguma falha possível. Claro que a magia não é real, mas o truque por detrás de tudo é. A inovação e execução são reais.

Justin William prova que é um excelente mágico e mesmo divertido, mantém aquele carisma necessária para a sua profissão e deixa qualquer de boca aberta com os seus truques. Além disso cada episódio tem um tema e uma seleção de momentos de como testar a Humanidade. A segunda temporada já vai estrear na Netflix.

Songwriter

Murray Cummings decidiu seguir o seu primo, Ed Seeran enquanto este criava um novo álbum. Durante os anos de 2016/2017, Murray seguiu os passos do artista com o propósito de documentar todo o processo num vídeo. “Songwriter” nasceu assim, um documentário que não foi planeado, mas que resultou muito bem.

Murray Cummings decidiu seguir o seu primo, Ed Seeran enquanto este criava um novo álbum. Durante os anos de 2016/2017, Murray seguiu os passos do artista com o propósito de documentar todo o processo num vídeo. “Songwriter” nasceu assim, um documentário que não foi planeado, mas que resultou muito bem.

Enquanto Ed Sheeran se refugiava do mundo em redor, onde apenas se mantinha reunido com a sua equipa principal, procurava inspiração e batida para conseguir mais um álbum. Com instrumento na mão e letra na cabeça começaram a sair as primeiras músicas. O resultado foi lançado em 2017 com disco “Divide“, onde junta os seus maiores êxitos como: “Shape of you“, “Castle on the Hill“, “Perfect“, “Galway Girl” e “Happier“. Mas se pensamos que é algo espontâneo e fácil, com este documentário aprendemos que não. Cumming e Sheeran apresentam de forma descortinada os segredos e o trabalho que envolve na produção de um álbum. São longos meses a debruçar sobre o assunto e  com vários intervenientes em simultâneo. A inspiração para a composição de uma letra pode surgir em qualquer lugar, num processo de muito estudo. Um dos melhores compositores da atualidade, pois Ed Sheeran escreve/escreveu músicas para outros cantores como: One Direction, Justin Bieber, The Weeknd, Taylor Swift…

Neste documentário muito intimista, entramos nos bastidores da música. Depois do albúm lançado é necessário promove-lo e por fim um tour. Também Sheeran reflecte as suas decisões, dúvidas e inseguranças na criação do que é seu, ainda sem conhecer as reacções do público. Este é um dos melhores artistas atuais, multifacetado e muito original na sua música. Tenta reinventar-se sempre. O último álbum dele foi o “No.6 Collaborations Project” onde participa com vários artistas.

Leaving Neverland

As revelações são chocantes. Não queria continuar a ver, mas por outro lado os meus olhos não descolavam o ecrã, tamanha era a vontade de conhecer aquela história. A polémica, não é nova. Michael Jackson já foi acusado de abusos sexuais a menores. Houve um julgamento, os media focaram-se no assunto. Culpado ou inocente? Contudo não houve provas suficientes para ir imediatamente para trás das grades.

As revelações são chocantes. Não queria continuar a ver, mas por outro lado os meus olhos não descolavam o ecrã, tamanha era a vontade de conhecer aquela história. A polémica, não é nova. Michael Jackson já foi acusado de abusos sexuais a menores. Houve um julgamento, os media focaram-se no assunto. Culpado ou inocente? Contudo não houve provas suficientes para ir imediatamente para trás das grades.

Neste documentário da HBO com duas partes e com duas horas cada um, acompanhamos duas histórias com o mesmo propósito. Expor a verdade sobre os segredos do rei do pop. Dois homens, que enquanto crianças foram amigos íntimos de Michael Jackson explicam a sua versão dos acontecimentos. Como o artista os aliciava com brincadeiras, doces, e todo um mundo de luxo e novidades durante o dia e durante a noite lentamente criava o contacto sexual. Tudo muito secreto e nada comentado. O carisma de Michael Jackson era tão forte que os jovens entre os 7 e 13 anos cumpriam, mesmo que significa-se o sofrimento em silêncio.

Estes casos não eram descobertos, mesmo com os pais das crianças próximas do local onde tudo acontecia. Neverland o refúgio do artista era um forte construído propositadamente para este efeito. Com as suas divisões secretas, sala de cinema privada, quartos de brincadeira, jardim zoológico, piscina e parque de diversões privado. Um local de fantasia que escondia terríveis crueldades.

Admito que fiquei um pouco perturbada com estas acusações. Nunca considerei Michael Jackson um homem normal, as suas presenças em público eram estranhas e isso também se reflectia na sua aparência. Era extravagante e inocente ao mesmo tempo. Um miúdo que cresceu muito rápido e consequentemente trouxe problemas emocionais para o seu futuro. Neste documentário bastante explícito,  Wade Robson e James Safechuck revelaram pormenores da sua intimidade com Jackson. Contudo considero que este é apenas um documentário visto de um lado da história. “Leaving Neverland” explica apenas o lado do acusadores. Será verdade? Ou é apenas o dinheiro a falar? Um mistério que ainda vai continuar, pois existe quem afirme e quem desmente.

Mommy Dead and Dearest

Neste documentário sobre factos reais explica a história que chocou a América em 2015. Este é o caso de Dee Dee e Gipsy, mãe e filha que apesar das aparências, não eram uma família normal. Dee Dee sempre muito protectora e cuidadora da filha, já que Gipsy não era autónoma, sofria de várias doenças, tais como epilepsia, músculos atrofiados (não podia andar), múltiplas doenças respiratórias, indisposição intestinal e mantinha fracas defesas no seu sistema. Já tinha vencido o cancro, mas o seu corpo era muito fraco e não conseguia sobreviver sozinha. Graças à sua situação, as duas era tratadas com carinho na comunidade local, não pagam impostos e receberam várias ofertas de viagens e passeios devido ao estado terminal de Gipsy. Apesar de todas as evidências e várias idas ao hospital…era tudo mentira.

Gipsy que desde criança vivia só com a mãe, desde muito nova foi incentivada a vários tratamentos e a medicação diária. A loucura e mentira da mãe chegou ao fim, quando em 2015, Gipsy já cansada da prisão onde vivia, pediu ao namorado para assassinar Dee Dee. O choque foi de todos, quando se descobriu a verdade das falsas doenças de Gipsy, que ainda cumpre pena de prisão, mas mantém-se uma rapariga saudável e normal sem necessidade de tomar medicamentos. “Mommy Dead and Dearst” é um forte documentário da HBO que reflecte a história de Gipsy na primeira pessoa. Após a sua sentença aceitou esta entrevista exclusiva a explicar os pormenores da sua vida com a mãe e os contornos da sua morte. Gipsy tornou-se numa vítima a uma culpada, mas não está completamente inocente.

Difícil de acreditar que aconteceu mesmo, pois quase parece enredo de um filme. A Hulu lançou uma série “The Act” que vai estrear a 20 de março onde explora o que aconteceu a Gipsy e a Dee Dee. Podem ver o trailer aqui:

Entretanto se gostariam de assistir a este documentário podem aderir ao HBO Portugal. Informo que pode conter imagens chocantes para os mais sensíveis.

Secrets of Great British Castles

Ao longo de duas temporadas conhecemos os castelos de Dover, Torre de Londres, Warwick, Caernarfon, Stirling, Carrickfergus, Edimburgo, Cardiff, York, Lancaster, Leeds e Arundel. Segredos são desvendados e histórias turbulentas sobre poderio militar, político, religioso e social ao longo da História britânica.

Dan Jones é um excelente historiador. O seu conhecimento sobre a História é transmitido de forma clara, fácil e sentimos que ficamos com vontade de aprender mais. Conheci os documentários deste apresentador sem estar à procura. Lembro-me que era um sobre o reinado do rei Henry VIII. A partir daí comecei a seguir o trabalho de Dan Jones. Descobri esta série de documentários sobre os fantásticos castelos britânicos nas recomendações da Netflix. Soube imediatamente que era a série ideal para mim.


Ao longo de duas temporadas conhecemos os castelos de Dover, Torre de Londres, Warwick, Caernarfon, Stirling, Carrickfergus, Edimburgo, Cardiff, York, Lancaster, Leeds e Arundel. Segredos são desvendados e histórias turbulentas sobre poderio militar, político, religioso e social ao longo da História britânica.
A boa disposição do apresentador, Dan Jones é cativa e a sua linguagem é muito própria e nada enfadonha. Quem não gosta de História, acho que vai ficar a gostar. Além de mostrar os locais onde tudo se passou, Jones aborda especialistas em determinados assuntos para uma melhor encenação do que realmente aconteceu e se era possível atualmente. O público viaja por lugares fantásticos com Dan Jones que nos conta os grandes segredos da História daqueles locais. Este é um complemento muito interessante para os amantes do tema.

Casting JonBenet: A Pequena Rainha da Beleza

Mesmo passados 21 anos, a morte de JonBenét Ramsay ainda está envolta em muito mistério. A menina norte-americana de 6 anos foi assassinada em sua casa no dia de natal. Participante assídua de concursos de beleza JonBenét era uma boneca com cara de anjo que adorava ser adulta

Mesmo passados 21 anos, a morte de JonBenét Ramsay ainda está envolta em muito mistério. A menina norte-americana de 6 anos foi assassinada em sua casa no dia de natal. Participante assídua de concursos de beleza JonBenét era uma boneca com cara de anjo que adorava ser adulta. Maquilhava-se e vestia-se a rigor para os concursos de miss no seu país, do qual conseguiu ganhar alguns. A Netflix baseou-se no caso que ainda hoje provoca opiniões distintas nos norte-americanos e criou um documentário sobre a pequena rainha da beleza.

 Com contornos diferentes dos habituais documentários, desta vez não tentamos descobrir as evidências do que verdadeiramente aconteceu, nem descobrimos o culpado. Em “Casting JonBenét”  durante uma hora, conhecemos as suspeições do caso. Várias pessoas fazem o casting para interpretarem os envolventes, enquanto explicam a sua opinião pessoal sobre a situação. Falam à vontade dos seus sentimentos e expressam com base no que ouviram e viram, basicamente o que conhecem.

Esta é uma forma inovadora de apresentação do documentário. Conhecemos o outro lado, o da opinião pública. E este lado é o que mais impacto tem. Quanto à verdade ainda está por descobrir. Será que foi a mãe? O pai? Ou o irmão? Havia assédio sexual? Ciúme? São todos temas que estavam na mesa mas nenhum foi oficialmente confirmado.

Sobressaí a montagem final deste documentário, onde retrata as várias hipóteses do acontecimento e as suas percussões. Tudo ao mesmo tempo. Já podem assistir na plataforma Netflix.