Filmes

Breakfast Club: A Complexidade da mente jovem

breakfast club

“Don’t you forget about me” dos Simple Minds é uma música que fica na cabeça, não apenas pela sua sonoridade, mas também porque pertenceu à banda sonora do filme Breakfast Club. Mas a verdade é que é muito mais do que isso, a música foi escolhida propositadamente. “Don’t you forget about me” é um hino à rebeldia e independência da juventude. Num mundo social, tentámos demasiado agradar aos outros. Seja através da nossa aparência, maneira de ser e de estar, e esquecemos-nos verdadeiramente de quem somos. O rótulos que atribuímos não passam disso mesmo. Somos muito mais do que um crânio, um atleta, uma excluída, uma princesa e um criminoso. Somos um conjunto disso tudo, mas cada um à sua maneira. Quando este grupo de jovens de juntou num castigo no sábado à tarde devido ao incumprimento das regras na escola, mal sabiam eles que iam sair de lá pessoas diferentes. Ás 7 horas da manhã quando começa o castigo, sem nada para dizerem, terminam às 4 horas da tarde com todos os segredos partilhados.  John Hughes foi audaz e inteligente no desenvolvimento deste filme. Proporcionou um dos episódios mais marcantes do cult dos anos 80. A confessar os seus dramas, angústias, pensamentos, cada um destes jovens tirou a máscara e falaram a verdade. Aparentemente não tinham nada em comum, mas aos poucos e poucos, cada um desenvolveu uma conexão com os outros. Afinal somos humanos, temos esta necessidade de interacção social. “Nenhum homem é uma ilha“. Este filme serviu de inspiração a muitos outros, que de forma perspicaz exploram as dificuldades da mente jovem a entrar na fase adulta. Abordados com a obrigação de escreverem um texto sobre aquilo que pensavam ser em 100 palavras, reconheceram que realmente não se importam com aquilo que os outros viam neles, afinal o que importa era o que realmente eram: um crânio, um atleta, uma excluída, uma princesa e um criminoso.

Anúncios

4 thoughts on “Breakfast Club: A Complexidade da mente jovem”

  1. Eu sei que isto vai parecer quase um insulto…mas é um daqueles filmes que oiço falar tantas vezes e que é referenciado em tantosnoutros filmes… porém, ainda não o vi. Tem de ir para a minha lista.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s