Crítica

Crítica: O Jogo da Imitação

A criação da máquina

O Jogo da Imitação (Imitation Game) é um filme de 2014, realizado por Morten Tyldum, e com as participações de Benedict Cumberbatch, Charles Dance, Greg Kinnear, Keira Knightley, Mark Strong, Matthew Goode e Tuppence Middleton. Sinopse: Durante o inverno de 1952, as autoridades britânicas entraram na casa do matemático, criptoanalista e herói de guerra Alan Turing para investigar um assalto. Em vez disso, prenderam Turing por atentado ao pudor, uma acusação que levaria à sua devastadora sentença pela ofensa criminal de homossexualidade – mal sabiam as autoridades que estavam a incriminar o pioneiro da computação moderna. Na liderança de um grupo de académicos, linguistas, campeões de xadrez e analistas, Turing foi reconhecido por quebrar o até aí indecifrável código da Enigma, a máquina utilizada pelos alemães na Segunda Guerra Mundial. (Fonte: Sapo Cinema).

imitation_game_dancing_still

Quem foi Alan Turing, talvez não haja muitos a ter conhecimento do seu nome ou dos seus feitos, mas a verdade é que foi um grande homem, que em tempo de Guerra teve de ter sangue frio, para salvar a vida de milhares de pessoas. Talvez se não fosse ele a 2ª Guerra Mundial teria durado mais anos.É neste filne biográfico que conhecemos a história do homem que conhecemos hoje em dia por ter inventado o primeiro computador. Talvez se não fosse por ele, não estaria aqui hoje a escrever esta crítica.  Com o ator Benedict Cumberbatc a liderar o elenco e perfeito no papel de Turing, demonstrou-nos um desempenho incrível. Esta nomeado para melhor ator, o mesmo para Keira que está nomeada para melhor atriz secundária, o mesmo acontece com o filme, que está como os melhores. Mas este ano a concorrência está mesmo apertada, mas poderá haver surpresas.

Todos os factores históricos são mencionados no filme e nada escapa. Os problemas e dificuldades que Turing teve no início, pois ninguém acreditava na sua descoberta, além disso a sua falta de comunicação com os outros não era vista com agrado. Ainda mais tarde teve que lidar com a sua homossexualidade, que o levou ao seu triste fim. O filme está bem realizado do ponto de vista técnico, o dramatismo está lá e a emoção do fracasso e sucesso também é devidamente explorado. The Imitation Game foca-se mais do ponto de vista de Turing, tornando-o mais pessoal, já o panorama mais geral não é devidamente explicado. Relembro que vale a pena assistir ao filme pelo argumento descontraído e interessante, pelos desempenhos de Benedict e Keira e para conhecermos a história incrível de Alan Turing. O blog atribui 4 estrelas em 5.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s