Crítica

Crítica: O Grande Mestre

the_grandmaster_movie_wallpaper-other

O Grande Mestre ou em título original Yi dai zong shi é um filme de 2013, realizado por Kar Wai Wong e nos principais papéis com Tony Chiu Wai Leung, Ziyi Zhang, Jin Zhang. Sinopse: A história de Ip Man, o mestre de artes marciais que treinou Bruce Lee. Uma narrativa que tem como cenário os anos tumultuosos da república que se seguiram à queda do último imperador chinês. Uma era de caos, divisão e guerra que foi, ao mesmo tempo, a idade de ouro das artes marciais chinesas. (Fonte: CinemaGate)

grandmaster

Todos nós conhecemos o mito que foi o ator de artes marciais Bruce Lee, no entanto esta é uma história que vai mais além e descobrimos melhor o passado do homem por detrás desse herói, que também não o deixa de ser. Em o Grande Mestre a história de Ip Man, o mestre de Bruce Lee é apresentada. Contudo este não é um filme de um homem só, não, desenganem-se, na verdade conhecemos a história de outros mestres de artes marciais. Fiquei fascinada com esta produção, perdoem-me a expressão mas os chineses fazem filmes para caraças. Os efeitos especiais são fenomenais e as coreografias de luta parecem de outro mundo. É verdade que só fazem filmes do género, mas vale mesmo a pena ver, e eu já há muito que não vi um filme assim.

Grandmaster-Leung-Zhang

A história ao início é um pouco confusa, para tal temos que conhecer o seu contexto político, económico e social. Mas logo apanhamos o ritmo, até porque na é na História da China que se foca, isso é apenas pano de fundo. Aqui acompanhamos a história de cinco personagens principais e nas suas buscas para tornarem-se os melhores mestres de artes marciais. Tudo isto baseado em factos reais. O realizador Kar Wai Wong é um génio nestes filmes, proteccionista no seu trabalho demorou um ano a editar o filme, os efeitos especiais as as cenas de luta como já disse são fenomenais e as personagens são expostas com um desenvolvimento evoluído.

“My father would always say, people who practice martial arts go through three stages: seeing yourself, seeing the world, seeing all living beings.”

O blog atribui 4 estrelas em 5. golden_star2golden_star2golden_star2golden_star2

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s