Crítica

Crítica: A Invenção de Hugo

A Invenção de Hugo é um filme de 2011 realizado por Martin Scorsese, e interpretado por Ben Kingsley, Sacha Baron Cohen, BAsa Butterfield, Ray Winstone, Emily Mortimer, Christopher Lee e Jude Law. Sinopese: O filme conta a história de um órfão que vive em segredo nas paredes de uma estação de comboios de Paris. Com a ajuda de uma rapariga excêntrica, ele procura a resposta para uma misteriosa ligação entre o pai que perdeu recentemente, o mal-humorado dono da loja de brinquedos que vive por baixo dele e uma fechadura em forma de coração, aparentemente, sem chave. (Fonte: Cinema Gate)

Hugo é um filme juvenil de aventura, drama e com uma pitada de fantasia que nos leva a pensar sobre que as coisas mais simples da vida, são as melhores. Este filme é baseado num livro, com o mesmo nome de Brian Selznick. Que desenvolve as aventuras de uma rapazinho órfão no início do século XX em Paris, e a sua descoberta, para conseguir concertar um boneco metálico que tem uma particular função, que o jovem pretende descobrir qual é, mal para tal necessita de ter as peças corretas para o conserto da máquina. Para conseguir as peças, Hugo sem dinheiro necessita de roubar, e o seu alvo é uma loja de brinquedos, liderada por um velho carrancudo (Ben Kingsley) que esconde um passado glorioso no mundo do entretenimento e magia, cabe ao jovem Hugo, mudar o humor do velho homem e trazer novamente a sua felicidade, mas para tal terá a ajuda de Isabelle, uma rapariga amiga e extrovertida, que sonha ter uma aventura.

As paisagens, efeitos de iluminação e banda sonora fazem deste filme uma experiência mágica, digna de Scorsense, mas que nada tem haver com os seus trabalhos antes realizados. A cor alia-se bem ao tipo de filme que é, criado uma realística interpretação do momento.  Quanto aos atores também estão bem, sendo predominante as cenas interpretadas pelo elenco jovem, estiveram à altura. Contudo a história não se mostra bem desenvolvida, pois muitos dos acontecimentos tornam-se muito previsíveis e esperava-se um mistério maior na aventura da descoberta do passado, ou então uma história mais comprometedora, quanto a isso foi um pouco baixa a imaginação. Concluindo é um filme a ver para miúdos e graúdos, de todas as idades. O Blo atribui 4 estrelas em 5.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s