O que falta nos filmes de Harry Potter


Esta cena faz não só falta nos filmes como nos livros, o facto do Dumbledore ser homossexual. É verdade. Afirmou-nos a J.K.Rowling a criadora de todas as personagens de Harry Potter. Desde o lançamento do primeiro volume que há um murmurinho sobre a possibilidade do director da escola, o feiticeiro velhote de barba branca, pudesse ser gay. Nunca se aproxima de mulheres, não tem nenhuma história pública de amor, preocupa-se imenso com o seu aspecto, e gosta de revistas de tricô. Em 2007, um fã teve coragem para perguntar à autora dos livros num evento em Nova Iorque, se os boatos se ocnfirmavam. A escritora disse que sim e explicou: “Ele estava apaixonado pelo seu adversário Gellert Grindelwald e sofreu uma terrível decepção com ele.”




Apesar de haver muitos fantasmas e seres fantásticos no mundo de Harry Potter, nos filmes falta-nos ser falado de um o Peeves, que muitas dores de cabeça deu ao jovem feiticeiro, e que apenas só fazia asneiras em Hogwarts. Na 7ª Arte foram nos retirados momentos de grande diversão.




No filme a Pedra Filosofal, quando os três amigos caminham para combater o mal,  na reta final da película. Falta-nos uma última armadilha preparada pelo próprio Snape em que consistia em beber uma poção, após adivinhar a resposta certa. No local apenas estava a Hermione e o Harry, pois o Ron tinha ficado para trás devido ao fantástico jogo real de xadrez. Porém esta cena não foi filmada, pois faltava um ingrediente de Hollywood: acção.




Em cada livro da série foi introduzido um objecto mágico. No ‘Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban’ surge o Mapa do Salteador. O mapa não só indica caminhos, mesmo para salas secretas, como indica quem está em Hogwarts e para onde se dirigem. O filme, contudo, não revela quem é o Salteador original, o criador do mapa. E não se trata de uma única personagem. O mapa nasceu pelas mãos de James Potter (pai de Harry), Peter Pettigrew, Sirius Black (padrinho de Harry) e Remus Lupim. Além disso, faz com que toda a história de Lupim ser um lobisomem e os seus amigos saírem da escola à socapa com ele nas noite de lua cheia, não seja explicado.




Nos filmes o que foi feito das cenas hilariantes na casa dos Weasleys? Pois bem, resta-nos apenas os livros, para descobrir como esta família era bastante divertida. Era por isso que Harry Potter, adorava passar uns tempos com a família do seu melhor amigo, principalmente devido ás travessuras dos irmãos gémeos mais velhos, Fred e George.




No livro Cálice de Fogo, a personagem Hermione Granger mostra bastante interesse em criar uma Liga Defensora dos Elfos Domésticos, que trabalhavam como escravos na escola de magia e feitiçaria e ainda em casa de feiticeiros de posses. Porém apenas passou de uma ideia no papel, porque no cinema tal facto não foi denunciado.




A maioria dos fãs dos livros de Harry Potter que foram ver os filmes ao cinema, não dispensaria cenas extra do desporto mágico, jogado com várias bolas e em cima de vassouras voadoras, nem mais peripécias de Ron Weasley. No livro ‘Harry Potter e a Ordem da Fenix‘, o melhor amigo do personagem principal transforma-se no melhor goleador de Quidditch da equipa de Gryffindor. É graças a ele que a equipa ganha a taça. Mas essa história não aparece no quinto filme da saga.




Há muito mais no labirinto encantado do livro ‘Harry Potter e o Cálice de Fogo’ do que nos mostra o filme. Além de Vitor Krum agir sob os efeitos da maldição Imperius, Harry e Cedric têm de enfrentar explosivos, monstros, uma inversão entre a terra e o céu, uma esfinge e uma aranha gigante. É, aliás, da aranha gigante que Harry salva Cedric – e não das ferozes paredes do labirinto, como indica o filme. O filme não mostra a amizade dos dois personagens a desenvolver-se, o que torna difícil, para quem não leu o livro, compreender porque é que Harry sofre tanto com a morte de Cedric.




O anão de asas douradas e harpa nas mãos abria caminho às cotoveladas entre os estudantes de Gryffindor. “Arry Potter, Arry Potter”, gritava, enquanto Harry, “cheio de calores só de pensar em receber um cartão do Dia dos Namorados em frente aos alunos do primeiro ano, incluindo Ginny Wesley”, tentava escapar. Mal sabia o protagonista de que a autora do cartão era a própria Ginny. Este é um dos episódios mais divertidos do livro ‘Harry Potter e a Câmara dos Segredos‘. Não foi adaptado para o grande ecrã. Além da cena poder dar alguma cor e romantismo ao filme, faz com que perceber a evolução da relação entres os dois seja mais difícil para quem nunca leu os livros.


Na cena final do último filme da saga, Harry Potter e os Talismãs da Morte-Parte 2, onde se passa 19 anos no futuro devia ser uma cena mais intensa, que desse por térmito o mundo de Harry Potter, que tanto nos fez fantasiar. No livro torna-se num capítulo mais intenso pois Harry termina a dizer que iria correr bem. Enquanto que no filme é apenas uma cena sentimentalista entre pai e filho, que não deixa de ser bonito, mas falta lá qualquer coisa.

Autor: beautifuldreams

Licenciada em Ciências da Comunicação, adoro escrever e ler. Sou lontra de sofá, amante de filmes e séries televisivas, vejo tudo o que posso. Aprendiz de geek, vivo num mundo de fantasia. Adoro a vida e ainda há tanto para descobrir.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: